Turismo
19/10/2016 - 11h40

Programa de turismo industrial será a nova aposta de Cubatão


A Secretaria de Turismo (Setur) atualmente mira estimular que mais indústrias do pólo abram suas portas a visitantes e turistas. A ação acontece na forma de iniciativas isoladas e busca reunir as iniciativas existentes em um programa municipal.
 
Após um encontro com o CIESP-Cubatão e a Associação Comercial e Industrial de Cubatão (ACIC), a equipe da Setur reuniu-se nesta segunda-feira (17), com representantes da Sabesp, EMAE e Copebras (antiga Anglo American) para dar continuidade à implantação do programa.
 
A secretária de Turismo, Elaine Gama, destaca que o segmento foi tema de um congresso nacional realizado em julho em São Bernardo do Campo, no qual a empresa Unipar/Carbocloro foi homenageada pelo programa Portas Abertas, realizado em sua unidade em Cubatão desde 1985, com mais de 100 mil visitantes. "Com esse programa, queremos mostrar a tecnologia e a história das empresas e a relevância da atividade para a cidade e a região", destacou.
 
Nos próximos dias, a Setur realizará novos encontros também com representantes da própria Carbocloro, além da Petrobras e Petrocoque.
 
O primeiro turista industrial
 
O primeiro registro de um viajante que veio à cidade justamente para conhecer uma indústria é de 1927, quando o escritor indiano Nobel de Literatura Rudyard Kipling (criador do personagem Mowgli, o menino-lobo) esteve em Cubatão para visitar a usina Henry Borden, construída com capital britânico, inaugurada no ano anterior. A visita rendeu uma reportagem publicada no jornal londrino Morning Post com o título "O Deus dos Relâmpagos: Como a Energia chegou a São Paulo".
 
Ele descreve para o público inglês o cotidiano dos empregados e o funcionamento da usina, com detalhes da Casa de Força que recebia as águas desde uma altura de 600 metros em colunas de 17 centímetros, o equivalente para gerar até 88 mil volts, índice suficiente para o autor comparar o mecanismo ao deus indiano dos relâmpagos, Abu Bijl.
 
"A engenhoca toda - chamam-na Roda de Pelton - é assim movida com rapidez. Duas rodas como essas dão vida ao Demônio Encapuzado - Abu Bijl - o Deus dos Relâmpagos - e deve-se aproximar com a cabeça descoberta, ou a mera passagem de seu sopro arrancará o chapéu de sua cabeça. Ele é conhecido pelos servos como Dínamo (com muitos milhares de cavalos-de-força), e serve aos mais variados propostos do mundo".
 
 
Da Redação
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por