Mundo
03/01/2017 - 04h53

Nova lei da Califórnia proíbe até mesmo segurar o celular ao dirigir


A partir de 1º de janeiro, o motorista da Califórnia que for pego pela polícia apenas segurando o telefone celular na mão, por qualquer razão, vai pagar uma multa de US$ 160 a US$ 180 (de R$ 525 a R$ 590), na primeira infração. Na segunda, vai pagar o dobro. São multas bem pesadas.
 
O estado aprovou uma nova lei, para atualizar a vigente, aprovada em 2006, que proíbe os motoristas de usar o celular em telefonemas e mensagens de texto. Se o celular estiver sendo usado por outras razões, o auto de infração é contestado com sucesso nos tribunais, por não serem definidas como infração pela atual lei.
 
Outras razões, que surgiram com os smartphones, incluem checar postagens na mídia social (Facebook, Twitter, Instagram etc.), usar o Snapchat, buscar listas de música no Spotify ou Pandora, digitar endereços no sistema de mapas, tirar fotos e fazer vídeos. Enfim, usar qualquer um dos inúmeros aplicativos disponíveis para smartphones ao dirigir.
 
A lei vigente não cumpriu satisfatoriamente sua finalidade. De acordo com um estudo do Departamento de Segurança do Tráfego da Califórnia, um em oito motoristas prestam tanta atenção a seu smartphone quanto à estrada enquanto dirigem. E 80% dos acidentes são causados por motoristas distraídos — a maioria deles, pelo smartphone.
 
Outro estudo do Departamento Nacional de Segurança do Tráfego nas Estradas revelou que a maioria dos acidentes são causados por jovens adultos distraídos pelo smartphone. Se o motorista ocupa cinco segundos no smartphone, a 55 milhas por hora (88,5 km/h), isso equivale a atravessar um campo de futebol com os olhos vendados.
 
No entanto, o uso do telefone celular não será proibido. Os usuários têm de fazer algum arranjo que lhes permita usar o aparelho, ao mesmo tempo em que mantêm os olhos na estrada. Isso significa usar o celular com as mãos livres (ou por viva-voz), de acordo com o The Sacramento Bee e o site Kern Golden Empire.
 
O melhor sistema é o que conecta o smartphone ao sistema de áudio do carro, pelo Bluetooth. Mas os motoristas poderão também fixar o smartphone no painel do carro ou no para-brisas, desde que não atrapalhe a visão. E desde que o aparelho possa ser manejado com apenas um toque ou deslize do dedo, para ativar ou desativar alguma função.
 
Para escolher uma lista de músicas, colocar um endereço no sistema de navegação do smartphone (ou do carro) ou fazer qualquer operação que use mais de um toque ou deslize do dedo, o motorista terá de parar o carro em qualquer lugar permitido.
 
 
ConJur 
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por