Sindical
06/03/2017 - 19h50

Servidores de Santos começaram paralisações nesta segunda-feira


Categoria decidiu parar um setor da Prefeitura por dia
 
Esta semana será de greve em diversos departamentos da Prefeitura de Santos. Preocupados em garantir no salário ao menos a inflação referente ao período entre janeiro de 2016 e fevereiro do ano passado, 11 mil servidores cruzarão os braços a partir desta segunda-feira (6). 
 
Segundo o presidente do Sindicato dos Estatutários Municipais de Santos (Sindest), Fábio Marcelo Pimentel, a categoria vai paralisar cada dia um setor da Prefeitura, mas não divulgará quais serão esses locais para manter o efeito surpresa. “O que podemos dizer é que uma unidade será paralisada na segunda, outra terça e uma última na quarta”.
 
Ele diz que essa “greve pipoca” foi aprovada em represália à falta de proposta do Executivo para a data-base de fevereiro. “O que pega é a parte financeira. Infelizmente, não apresentaram nada para a gente. Queremos 100% da inflação do período mais 10% de aumento real, que ainda poderá ser negociado”.
 
Luta
 
Fábio explica que é difícil abrir mão de algumas exigências e que a categoria vai lutar. “A gente acumula perda, e na atual circunstância do País isso é algo muito considerável. Não dá para aceitar”.
 
Caso seja apresentada alguma proposta pelo Executivo, ela será levada para a categoria. “A intenção é continuar com as paralisações caso nada aconteça, mas tudo tem um limite. Nos reuniremos para tomar novas medidas caso isso não tenha efeito”.
 
Tem mais
 
E a situação só tende a piorar. A partir de quinta-feira, só hospitais e pronto-socorros funcionarão com o mínimo de funcionários possível. O alerta é dado pelo diretor do Sindicato dos Servidores Públicos de Santos (Sindserv), Flávio Saraiva.
 
Ele avisa que se não tiver proposta até quarta-feira, entrarão em greve por tempo indeterminado. “Pedimos a inflação mais 5% de perdas passadas, porque tivemos metade do poder de compra. Agora, seria como recuperar uma pequena parte disso”.
 
Prefeitura
 
Sobre as greves anunciadas para a semana, a Prefeitura de Santos informa que, apesar da situação financeira, propõe-se a corrigir em 5,65% (índice inflacionário) os valores da cesta básica e do auxílio-alimentação, mas não informa sobre reajuste dos salários.
 
A Prefeitura disse ainda que “não haverá comprometimento dos serviços, uma vez que conta com o bom senso e o discernimento dos servidores diante da crise econômica nacional que atingiu o Município”.


Da Redação
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por