Sindical
08/03/2017 - 09h15

Greve nos ônibus de Cubatão será por tempo indeterminado


 
A greve nos ônibus urbanos e escolares, em Cubatão, iniciada na madrugada desta segunda-feira (6), será por tempo indeterminado, até o pagamento dos salários de fevereiro.
 
Segundo o presidente do sindicato dos trabalhadores em transportes rodoviários de Santos e região, Valdir de Souza Pestana, até o começo da tarde a empresa não anunciou a quitação.
 
Como a prefeitura também não se manifestou, o sindicalista acredita que a paralisação continuará até que os trabalhadores recebam ou até julgamento de eventual dissídio na Justiça do Trabalho.
 
“O que não pode é o pessoal trabalhar sem receber”, pondera Pestana, que comandou a assembleia de deflagração da greve, na manhã desta segunda.
 
Também presidente da federação dos rodoviários do estado de São Paulo, o sindicalista lembra que a empresa atrasa sistematicamente os salários, sempre alegando não receber os subsídios da prefeitura.
 
“Não temos nada a ver com as diferenças entre essas duas partes”, alega Pestana. “Os trabalhadores têm famílias para sustentar e precisam receber em dia”.
 
O presidente do sindicato reclama que os empregados da Translíder poderão enfrentar outro grave problema, nas próximas horas: a suspensão do plano de saúde.
 
Segundo ele, a empresa vem atrasando também as mensalidades da Intermédica: “Muitas pessoas estão em tratamento e terão os procedimentos interrompidos. Até cirurgias poderão ser canceladas”.
 
A empresa tem 181 motoristas, 135 cobradores, monitoras escolares, empregados administrativos e de oficinas, totalizando 450 pessoas.
 
Ela opera com 64 ônibus convencionais e 46 micro-ônibus, estes para 2.600 estudantes da rede municipal. A greve mais recente foi em 17 de janeiro, também por atraso salarial.
 
No final de dezembro, os rodoviários também pararam por um dia, para receber a segunda parcela do 13º salário. Em 1º de novembro, paralisaram pelo adiantamento salarial de 20 de outubro.
 
Nova assembleia está marcada para 7 horas desta terça-feira (8), diante da garagem da Translíder, na Rua Tenente Coronel PM Geraldo Aparecido Corrêa, 60, Vila Elizabeth, Cubatão.


 
Ardil
Sindicato nega acusação de perueiros alternativos
 
O sindicato repudia acusações de perueiros do transporte alternativo de que os motoristas da Translíder estariam quebrando vidros ou danificando seus veículos.
 
O presidente Valdir Pestana diz que os grevistas permaneceram ordeiramente na porta da garagem, após a assembleia, durante a manhã, de lá saindo para suas casas.
 
“Respeitamos os proprietários e empregados do transporte alternativo, que são trabalhadores como nós, rodoviários”, diz o sindicalista.
 
Pestana ressalta, porém, que o jurídico do sindicato não hesitará em processar judicialmente a representação dos perueiros, caso insistam em denegrir a luta dos grevistas.
 
“Nossa luta é por empregos regulares e pela ordem democrática”, diz o sindicalista. “Tudo que vier ao contrário deve ser de pessoas sem escrúpulos ou ardilosas na arte de criar tumultos para nos enfraquecer”.


AssCom SindRod Santos
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por