Judiciário
10/05/2017 - 07h27

Noivos serão indenizados por falta de comida em festa de casamento


Dono de buffet argumentou que foi contratado para servir  finger food

 
Um casal receberá indenização por danos morais devido à falta de comida em sua festa de casamento. A decisão é do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que determinou o pagamento de R$ 8 mil aos noivos. 
 
Segundo o processo, o cardápio a ser servido seria composto por uma salada, duas massas e carne com guarnição pelo custo total de R$ 3.220. O casal relatou que fez uma prova anteriormente e os prato eram “fartos e muito bem elaborados” e que foram informados que os convidados poderiam repetir. 
 
No dia do casamento, porém, os pratos servidos teriam a metade do tamanho dos que foram apresentados na prova. Os reclamantes relataram “que a porção era muito pequena, que uma das massas não possuía o molho escolhido e que o prato de filé possuía apenas três pedaços de carne e três de batata”. Um dos pratos não teria sido servido para todos os convidados e não havia porções para repetir. Ao questionarem o responsável pelo buffet, ele teria respondido aos berros e dito que havia mais pessoas do que o combinado. 
 
O casal ajuizou ação pedindo reparação pela discrepância entre o que foi prometido e o que foi servido e pelo vexame que passaram diante dos convidados. 
 
Defesa
 
Em sua defesa, o réu argumentou que foi contratado para servir um buffet na modalidade finger food (com miniporções de comida) e que o número previsto era de 78 convidados, mas havia, no mínimo, 90. Havia, ainda, garçons, integrantes da banda e da equipe de recepção e de fotografia. Além disso, o réu atribuiu a culpa aos clientes que não souberam identificar o perfil das pessoas que convidaram, e sustentou que não havia provas de dano moral ou material. 
 
Para a relatora do caso, desembargadora Gisele Anne Vieira de Azambuja, não há dúvidas sobre a falha na prestação do serviço. “Examinando as fotografias acostadas não é difícil a constatação de que a comida era pouca. Basta uma comparação com o tamanho do guardanapo e do prato. Aliás, sequer pratos suficientes havia, e sendo o jantar à francesa, estava obrigado o demandado a prover não apenas a comida, mas a louça e talheres suficientes a atender o número de convidados”, observou a desembargadora. 
 
Além do pagamento por danos morais, a magistrada determinou o ressarcimento de R$ 966, que corresponde a 30% do valor do contrato, já que, apesar da má prestação, o réu serviu o jantar e teve despesas com isso. 
 
A relatora observou ainda que a situação “causou mais do que transtornos e dissabores, mas tristeza, indignação e nervosismo dos noivos, que sequer jantaram na ocasião, por falta de comida”.
 
 
Da Redação
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por