Polícia
28/07/2017 - 07h03

Cidades da Baixada Santista têm quase um estupro por dia


Já foram 157 casos nos últimos seis meses nos nove municípios da região

 
A Baixada Santista registrou quase um caso de estupro por dia nos primeiros seis meses do ano. As estatísticas oficiais foram divulgados nesta terça-feira (25), pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), e apontam que somente no primeiro semestre, pelo menos 157 pessoas foram vítimas desse crime. 
 
No ano passado, no mesmo período, foram 132 casos – uma alta de 18,93%. Esse tipo de crime foi o que apresentou a maior alta na comparação com o primeiro semestre do ano anterior. 
 
Itanhaém e São Vicente são as duas cidades que concentram o maior número de ocorrências do tipo: 31 casos em cada município. Na sequência, está Guarujá, com 28. 
 
Segundo o comandante da Polícia Militar na região (CPI-6), coronel Rogério Silva Pedro, um fator determinante dificulta a ação da polícia na prevenção desse tipo de ocorrência: a maior parte dos casos é de estupro de vulnerável e acontece dentro da própria residência da vítima. 
 
“Na maior parte ocorrem em uma relação familiar. Pedimos sempre o apoio de professores, de agentes da saúde, para que avisem à polícia sempre que verificarem uma mudança de comportamento da criança”. 
 
Preferida nos furtos de carro
 
Casos de furto de veículos totalizaram 2.015 ocorrências, contra 1.921 no primeiro semestre de 2016, o que representa uma alta de 4,89%. Santos, conforme os dados da SSP, é a cidade preferida desse tipo de ladrão. Somente na Cidade, foram 837 ocorrências do tipo. 
 
Na sequência da lista aparecem os casos de homicídio, que cresceram 4,2% em comparação com o ano passado. Passaram de 71 registros para 74. São Vicente (16), Praia Grande (15) e Guarujá (11) lideram entre os municípios com maior número de assassinatos. 
 
Já o furto, conforme os dados divulgados pela pasta, foi o crime que apresentou menor alta na comparação com o primeiro semestre de 2016. Nos primeiros seis meses foram registradas 12.851 ocorrências, contra 12.827 no mesmo período, uma diferença de 24 casos (4,20%). 
 
Em queda
 
Roubo de veículos foi o único crime que apresentou queda em comparação ao ano anterior. No primeiro semestre de 2016 foram registradas 1.578 ocorrências. Já este ano, passou para 1.536 casos – queda de 2,66%. Já os latrocínios (roubo seguido de morte) seguem estagnados, com 12 casos registrados nos dois semestres. 
 
Apesar dos resultados, o comandante acredita que têm surtido efeito as ações de combate à violência adotadas pela PM na região. “Os furtos e roubos de veículos têm apresentado queda na comparação com anos anteriores. Esses dados representam uma vitória. A redução da criminalidade, infelizmente, não depende apenas da polícia. A parte que nos cabe estamos sempre tentando melhorar”. 
 
Mais aumentos
 
Também tiveram aumento nas ocorrências os casos de roubo, furto de veículos, homicídio e furto. Casos de roubos, por exemplo, tiveram alta de 12,50% em comparação com o primeiro semestre de 2016. Nos primeiros seis meses do ano foram registrados 10.241 ocorrências, contra 9.103 no primeiro semestre de 2016. 
 
Entre os municípios que contabilizam o maior número de casos está Praia Grande, que detém pouco mais de 25% de todas os registros da região. Lá, foram contabilizadas 2.588 ocorrências nos distritos policiais.

 
 
Carolina Iglesias / A Tribuna On-line
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por