Polícia
03/10/2017 - 09h07

Estado mantém três distritos policiais fechados em cidades da Baixada Santista, SP


Em visita à região, secretário de segurança de São Paulo também anunciou esquema da Operação Verão 2017/2018.
 
Duas delegacias de polícia localizadas em Mongaguá e uma em Peruíbe, todas no litoral de São Paulo, permanecem fechadas até pelo menos o fim deste ano. A informação é do secretário de segurança de São Paulo, Mágino Alves, que em visita à Baixada Santista anunciou o esquema da Operação Verão para o litoral.
 
Os 1º e o 2º distritos de Mongaguá e o 1º de Peruíbe tiveram as atividades suspensas em agosto, por ordem do comando do 6º Departamento de Polícia Judiciária São Paulo Interior (Deinter). Na ocasião, a justificativa era para qualificar o atendimento, que passou a ocorrer apenas nas Delegacias Sedes de cada cidade.
 
"Não houve fechamento de nenhuma unidade policial na Baixada [Santista]. Quando você fecha [uma unidade], deixa de existir. O que passou a existir é o atendimento desses distrito nas delegacias sedes dos municípios", informou Alves. O secretário esteve em Praia Grande (SP) nesta segunda-feira (2) com os prefeitos da região.
 
Segundo Mágino, não houve diminuição de efetivo mesmo após o fechamento das unidades nos municípios. "Em dois meses vamos nos reunir com os prefeitos dessas duas cidades a analisar os índices [criminais]. Até agora, não verificamos qualquer alteração e, por isso, vamos mantê-los assim", informou após a reunião.
 
Na ocasião, o secretário ainda admitiu que há "déficit" de policiais militares e civis em todo o Estado. "Faltam policiais de uma forma geral. Você tem uma dificuldade de repor imediatamente. Aqui [Baixada Santista] não há uma defesagem tão significativa", disse ao garantir que as vagas na região serão respostas, mesmo ser informar quando.
 
Em junho, o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Santos e Região (Sinpolsan), Marcio Pino, estimou que há déficit de ao menos 500 policiais nas delegacias da Baixada Santis, como também da região do Vale do Ribeira (SP). "O governo está confortável e acomodado, enquanto a população precisa da polícia", disse o sindicalista, na época.
 
Operação Verão
 
Durante a reunião com os prefeitos, o secretário de segurança de São Paulo, Mágino Alves, informou ainda que manteve esquema semelhante da Operação Verão de 2017/2018 ao anterior. Ao menos 1.200 policiais militares e civis vão reforçar a segurança nas cidades do litoral paulista durante a temporada.
 
A mudança em relação à operação de 2016/2017 ocorre nos policiais que serão enviados à região. Em vez de soldados recém formados, serão sargentos em formação. Segundo o secretário, ao menos 1.017 militares provenientes de outras cidades do Estado serão remanejados para o litoral durante o período.
 
As vagas remanescentes (183) serão preenchidas pela Diário Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho (Dejem), que é quando o policial da região trabalha nos horários de folga para o Estado. "Com isso, vamos manter a mesma quantidade de policiais da temporada anterior, sem qualquer prejuízo", disse.
 
A Operação Verão tem início previsto para a segunda quinzena de dezembro deste ano e segue até depois do Carnaval, na segunda quinzena de fevereiro de 2018. "Será uma garantia de que a população dos municípios do litoral terão segurança adequada, assim como a população flutuante, que visita a região".
 
 
G1 Santos
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por