Portos
24/01/2018 - 07h05

Equipes internacionais farão 'caça' a contêineres perdidos no mar em SP


Dos 46 contêineres que caíram no mar em agosto de 2017, apenas nove foram retirados. Empresa responsável será autuada e multada.


 
Apenas nove dos 46 contêineres que afundaram após caírem de um navio na costa de Santos, no litoral de São Paulo, em agosto de 2017, foram retirados do fundo do mar até esta terça-feira (23). Até agora, apenas outros dez foram rastreados. Os detalhes de como funcionará uma nova operação de remoção foram discutidos na sede do Ibama, em Santos, nesta segunda-feira (22).
 
De acordo com o Ibama, a retirada dos contêineres foi dificultada pelas condições climáticas e das marés. Para facilitar os trabalhos de remoção, ainda nesta semana chegarão equipamentos que foram importados dos Estados Unidos e serão usados em um novo modelo de operação de retirada dos contêineres.
 
A expectativa é que a equipe que vai chegar do exterior, com equipamentos modernos, consiga identificar onde estão localizados os demais contêineres. A equipe de vinte profissionais, metade formada por mergulhadores americanos e alemães, começa a trabalhar até o dia 1º de fevereiro.
 
"Vão ser quatro tipos de retirada de equipamentos que estão chegando na balsa por esses dias e os procedimentos são interessantíssimos. São procedimentos que foram utilizados na retirada do Costa Concordia, na Itália", explica a agente ambiental federal Ana Angélica Alabarce, que integra o grupo de emergências do órgão e acompanha o caso.
 
O prazo dado pelo Ibama para que os contêineres fossem retirados do mar termina no próximo sábado (27) e, a partir da data, a empresa Log In Pantanal, responsável pelo navio de onde caíram os contêineres, poderá ser multada. "Da multa não vai dar pra escapar e eles sabem disso, estão conscientes. Mas, nós também temos que lembrar os atenuantes: eles não pararam e atenderam a todas as exigências. Se você olhar no mundo inteiro, isso é único", conclui a agente.
 
O acidente
 
A queda dos 46 contêineres ocorreu na madrugada do dia 11 de agosto, do navio Log In Pantanal, então no Fundeadouro 3 do Porto de Santos. O mau tempo, segundo a empresa proprietária do navio, contribuiu para o ocorrido, que é alvo de uma investigação da Capitania dos Portos. Ao menos 38 caixas metálicas afundaram.
 
A via navegável teve que ser bloqueada por 24 horas, e a Marinha emitiu uma alerta aos navegantes por causa das caixas metálicas no mar.
 
Aparelhos de ar-condicionado, mochilas, material hospitalar, pneus, toalhas e tapetes estão entre as cargas armazenadas nos contêineres que caíram na água e apareceram flutuando na região. Alguns compartimentos se romperam e parte da carga se espalhou entre a barra de Santos e a região costeira.
 
Ao menos 11 pessoas foram detidas em flagrante por saquearem contêineres que boiavam na barra de Santos, após o ocorrido. Entre os produtos recuperados, estão eletrônicos, eletrodomésticos, pneus de bicicleta e peças de vestuário. As mercadorias foram apreendidas e as pessoas acabaram liberadas na delegacia.


G1 Santos
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por