Polícia
08/02/2018 - 05h13

Câmara Municipal discutirá direitos de clientes prejudicados em assalto à Caixa


Audiência pública ocorrerá no dia 16 de fevereiro na Câmara Municipal de Santos.
 
A Câmara de Santos realizará uma audiência pública no dia 16 de fevereiro, às 15h, com o objetivo de debater sobre os direitos dos clientes do serviço de penhor prejudicados no assalto à agência central Caixa Econômica Federal, que aconteceu no dia 17 de dezembro.
 
O encontro acontecerá no Auditório Vereadora “Zeny de Sá Goulart”, na Câmara Municipal. Estarão presentes o coordenador do Procon Santos, Rafael Quaresma, representantes da Caixa Econômica Federal, Ministério Público, Associação e Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor.
 
Segundo informações da Câmara, esta é uma forma de ajudar na busca de uma solução rápida e justa para todas as partes envolvidas. No dia 28 de dezembro, a Caixa Econômica inicou o procedimento para ressarcir os clientes prejudicados.
 
No fim de janeiro, o Procon-Santos convocou as vítimas do assalto para participarem de mutirões para registrar reclamação contra o banco junto ao órgão de defesa do consumidor. No dia 31 de janeiro, durante o segundo dia de mutirão, a fundação atendeu 880 clientes. Há previsão de um terceiro atendimento para o próximo dia 26, das 9h às 17h, no auditório da Seduc (Praça dos Andradas, 25/34, Centro).
 
O coordenador do Procon-Santos, Rafael Quaresma, explica que o objetivo da audiência é encontrar alternativas para resolver o problema. "Vamos verificar se há a possibilidade de uma alternativa que não seja a judicialização da questão. Estimamos que mais de 10 mil pessoas foram prejudicadas e esse é um número muito expressivo para a Caixa simplesmente recomendar o ajuizamento de ações judiciais. Isso não vai resolver o problema, só dar mais dor de cabeça para os consumidores".
 
O caso
 
A agência central da Caixa Econômica Federal de Santos, no litoral de São Paulo, foi assaltada por uma quadrilha de cerca de 15 criminosos no da 17 de dezembro. Segundo informações da polícia, os bandidos estavam armados e, utilizando uniformes da Polícia Militar, toucas ninjas e máscaras que imitam a pele humana para não serem reconhecidos, invadiram a unidade por volta das 11h, fizeram a vigia refém e permaneceram dentro da agência até as 18h. A quadrilha fugiu levando dinheiro, armas e joias penhoradas que estavam nos cofres.
 
De acordo com o depoimento da vigilante da unidade à polícia, o primeiro assaltante chegou à agência, por volta das 11h vestido com um uniforme da Polícia Militar, com uma prancheta e caneta na mão. Ele perguntou se estava ocorrendo algum problema na agência e, com isso, segundo a polícia, a funcionária voltou a sua atenção para o homem. Enquanto conversavam, outros três criminosos entraram na agência com revólveres no bolso.
 
 
G1 Santos 
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por