Geral
09/03/2018 - 10h09

Casal encontra erro matemático em loteria e ganha US$ 27 milhões


Eles jogaram por nove anos seguidos até acumular fortuna
 
A loteria geralmente é um investimento ruim: o valor pode ser até pequeno, mas a chance de vitória é mínima. Mas para um casal americano que apostou por nove anos, este tornou-se um investimento altamente lucrativo. Marge e Jerry Selbee, donos de uma loja de conveniência em Evart, no estado do Michigan, ganharam US$ 27 milhões (R$ 87 milhões) ao descobrirem um furo matemático em dois dos jogos de loteria que vendem a seus clientes. 
 
A história foi contada em artigo publicado no HuffPost. Depois de observar centenas de clientes fazendo apostas na loja, Jerry desconfiou de um padrão na loteria Winfall, de Michigan, e posteriormente da Cash WinFall, de Massachusetts. Ao jogar um dólar aqui e ali, você poderia ganhar ocasionalmente. Mas, jogando milhares de dólares em semanas específicas, quando o prêmio estava acumulado em um certo número, era quase certo um lucro de cinco ou seis dígitos.
 
Jerry começou a testar sua teoria em 2003. Gastando algumas centenas de dólares por semana, sem contar para sua esposa, fazia apostas específicas nos bilhetes que desconfiava que tivessem mais chances de vitória. Depois de duas semanas de apostas, ganhou US$ 6,3 mil depois de comprar US$ 3,4 mil em ingressos - e US$ 15,7 mil depois de comprar US$ 8 mil em ingressos. Foi então que sua empresa entrou no jogo. 
 
Durante 55 semanas, o casal passou a ir a lojas, examinar bilhetes das máquinas de loteria por horas a fio e comprar aqueles com maior probabilidade de ganhar. Abriram uma empresa só para isso. A aposta virou emprego em tempo integral. Com o tempo, deixaram a loteria de Michigan e passaram a focar apostas na de Massachusetts, a doze horas de carro. Viraram investidores profissionais. 
 
Um desafio, porém, surgiu quando estudantes do MIT que também descobriram o furo matemático. Eles perceberam que se um jogo não tivesse ganhador, ele era mantido na próxima loteria da casa, aumentando o prêmio. Na loteria de Massachusetts, a bolada era limitada a US$ 2 milhões. Então, quando ninguém acertava os seis números que garantiam o prêmio máximo - o que ocorria em 99% dos casos -, o prêmio era "distribuído", indo para apostas que combinavam quatro ou cinco números. Ou seja: se um prêmio acumulado chegasse a US$ 2 milhões e uma pessoa apostar US$ 600 mil em números variados, o lucro médio seria de 15%.
 
Os jovens formaram uma organização e começaram a fazer milhões vendendo a estratégia a investidores. Os funcionários da loteria haviam percebido que eles se aproveitavam de alguma vantagem estatística,mas não fizeram muito para combater a prática. Uma reportagem do The Boston Globe chamou a atenção para a atitude do grupo e do casal, gerando antipatia das pessoas - embora o que eles estivessem fazendo não fosse na prática ilegal. 
 
A reportagem, aliás, foi escrita pelo mesmo time de Spotlight, que foi consagrada - e virou filme - após denunciar o abuso sexual infantil na igreja católica. Após a repercussão ruim, a loteria de Massachusetts encerrou o jogo. E o casal Selbees fez sua última viagem de volta a Michigan, depois da 55ª semana de jogos. Ao final deste período, porém, já haviam arrecadado US$ 27 milhões.
 
 
Época Negócios
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por