Turismo
16/03/2018 - 03h20

Grupo de Praia Grande vai de moto até o Chile


Amigos da região vai registrar a aventura, que começou nesta quinta-feira (15)

 
Oito homens e um destino. Parece nome de filme, não? Mas vai acontecer na vida real. A primeira parte começou a ser rodada nesta quinta-feira (15), em Praia Grande, e vai até quando os aventureiros santistas e vicentinos chegarem a bordo de seis motos e um carro de apoio no Deserto do Atacama, no Chile. O retorno está marcado para 4 de abril, também em Praia Grande, para o final feliz do roteiro. No total, entre ida e volta, 7.277 km de pura emoção.

“É algo que a gente está planejando há um ano e meio. Fizemos trajetos curtos, como para Curitiba e Serra Negra com este mesmo pessoal. Às vezes, tivemos alguns a mais, e em outras ocasiões, alguns a menos”, explica Silvio Busato, um dos organizadores da aventura, custeada com recursos próprios e rateada entre todos. 
 
Silvio, inclusive, está levando equipamento fotográfico para registrar e atualizar um site criado especialmente para divulgar os passos, ou melhor, as aceleradas dos motociclistas até o Chile, bem como na volta, que será feita por outro caminho. “Temos até um drone”, conta. 
 
A média de idade do grupo, a maioria funcionários da Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão, gira em torno de 53 anos. O mais novo é Marco Antonio Moreira, de 48 anos, proprietário de um estacionamento e lava rápido no Centro. Tanto na idade quanto no tempo junto com a turma. “Estou há uns seis meses com eles. Formamos uma grande família”, comenta. 
 
O mais velho é Sidnei Bastos, de 63 anos, que estará no carro de apoio. No entanto, assim como Ricardo Cunha, seu companheiro de bordo, também andará de moto em alguns períodos da viagem, em uma espécie de revezamento. “É uma forma de descansarmos também, além das paradas que faremos, seja de horas ou de um dia”, completa Silvio.
 
Antes da aventura, A Tribuna acompanhou o almoço de todos, ontem à tarde, em um restaurante no Canal 1. Falar do assunto entre uma garfada e outra fazia com que todos entrassem em uma autêntica fonte da juventude. “Fazemos uma bagunça com responsabilidade”, diz Marco Antônio. “Nem vai dar para beber ou comer demais no caminho. Só coisas leves mesmo”, emenda André Amaral. 
 
 
Ausência
 
Embora presente no almoço, José Eduardo Gallo não poderá ir, conforme planejava. Aos 63 anos, ele teve uma embolia pulmonar há pouco mais de dez dias e foi desaconselhado pelo médico a pegar a estrada. 
 
“Em parte do percurso, há altitude e isso poderia me causar um AVC (Acidente Vascular Cerebral)”, explica. Em Susques, pequena cidade na divisa da Argentina com o Chile, onde o grupo irá passar, a elevação chega aos 3.896 metros.
 
Porém, o carro de apoio e uma das motos, de propriedade de Gallo, irão viajar por ele. O cunhado Honório Marques foi convidado, junto com Sidney e Ricardo. Pensou em desistir pela ausência, mas foi convencido do contrário. 
 
“Muitos agendaram férias nesse período especialmente para isso. Não poderia estragar um sonho que é de todos”, afirma Gallo. Completam o grupo de aventureiros Marco Bunno e Sérgio Arins.
 
 
A Tribuna On-line
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por