Sindical
13/04/2018 - 09h01

Audiência entre Codesp e SINDAPORT termina sem acordo


Sem negociação, as partes – sindicato e empresa – têm 10 dias cada uma para apresentação de documentos. Após isso, será marcada a data do julgamento.
 
Não houve acordo entre a Codesp e o SINDAPORT durante a audiência realizada na tarde desta terça-feira no Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo. Mais uma vez, a administradora do Porto de Santos ofereceu 0% de aumento salarial a seus empregados. Por falta de consenso, as partes – sindicato e empresa – têm 10 dias cada uma para apresentação de documentos. Após isso, será sorteado o juiz relator e marcada a data do julgamento.
 
“Nós fizemos a nossa parte. Acreditamos na Codesp, esperamos os três meses após a assinatura do acordo coletivo para negociar o reajuste salarial. Apesar da empresa afirmar que tinha condições financeiras para dar o aumento aos trabalhadores, o Governo Federal negou qualquer sinal de reajuste. Por isso partimos para a greve e para a instauração de dissídio coletivo. Agora mais uma surpresa, o TRT propôs o aumento salarial e a Companhia continua insistindo em zero por cento. Não entendemos o que está acontecendo, como a imprensa já noticiou, a Codesp está dando lucro e distribuirá dividendos entre seus acionistas”, afirma o presidente do SINDAPORT, Everandy Cirino dos Santos.
 
A audiência de conciliação, referente à Campanha Salarial de 2017, ocorreu após o SINDAPORT ter instaurado dissidio coletivo de greve. No ano passado, após a assinatura do acordo coletivo uma cláusula do documento determinava que após 90 dias, seria discutido reajuste salarial para a categoria. A data base da categoria é 1º de junho, o acordo foi assinado em setembro e desde dezembro, o SINDAPORT vinha tentando negociar em vão com a Codesp.
 
Cansados de esperar, os empregados da Codesp fizeram greve de 24 horas no dia 05 de março e instauraram dissídio coletivo no TRT. Na primeira audiência realizada, em 07 de março, o desembargador Carlos Roberto Husek propôs, seguindo o INPC/IBGE, aumento salarial de 3,34% acrescido de 1,5% a título de produtividade totalizando 4,89%. E que a Companhia também pagasse as horas que os empregados ficaram parados, durante o dia de greve, sem que fosse preciso fazer a compensação.
 
Na ocasião, o SINDAPORT aceitou a proposta conciliatória, porém, a Codesp informou que precisava de autorização da diretoria executiva da empresa. Por essa razão, o desembargador determinou uma nova audiência marcada para hoje. Diante da falta de entendimento, será marcado o julgamento do dissídio coletivo.
 
“Já estamos próximos da Campanha Salarial deste ano e até agora a Codesp continua negando o aumento do ano passado a seus trabalhadores. O que é uma incoerência, pois em 2017 a empresa registrou lucro líquido de R$ 44,4 milhões e está divulgando isso aos quatro ventos”.


AssCom Sindaport / Gisele de Oliveira
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por