Economia
08/05/2018 - 04h18

De chip à roupa: comércio vicentino aguarda grande movimento para o Dia das Mães


As vozes femininas anunciam os preços de chips de operadoras diversas no centro comercial de São Vicente. Com a comemoração do Dia das Mães no próximo dia 13, Fernanda Andrade, de 36 anos, muda o discurso de vendas e aborda seus clientes dizendo: “Promoção de Dia das Mães, dois chips por dez reais”.
 
Vendedora de chips de telefonia há dois meses, Fernanda voltou para o mercado de trabalho após se dedicar aos filhos em uma fase turbulenta. “Eu larguei tudo para cuidar deles, enfrentei tentativa de suicídio e depressão na adolescência. Agora que eles estão maiores e mais tranquilos, e eu estava me sentindo sozinha em casa, decidi voltar a trabalhar”.  Com cursos de formação profissional em oratória e de cabeleireira, ela contou que já teve seu próprio salão de beleza e foi gerente de loja.
 
Fernanda, que é mãe de uma garota de 15 anos e um rapaz de 17, está otimista com relação às vendas. “A gente sempre espera bater a nossa meta. O Centro é movimentado, é quase uma ’25 de Março’ da Região. Tem muita gente comprando. O Dia das Mães vai cair em uma data em que as pessoas estão com dinheiro, isso faz as vendas aumentarem”.
 
A data comemorativa também aumenta as expectativas da vendedora em relação aos mimos que ganha no dia. “No Dia das Mães eu espero as canecas que eles me dão todos os anos, uma que acompanha o café da manhã na cama e a outra com suco depois. Amo esse presentinho”.
 
Escolhas. Apesar da situação financeira da população, os lojistas da Cidade esperam um aumento de vendas às vésperas da data. “As pessoas estão gastando pouco ultimamente. Comparado ao ano passado, o número de peças vendidas caiu, mas com certeza no sábado vai estar super movimentado”, explica a vendedora Bruna Ferreira, de 22 anos.
 
Mesmo com o acesso fácil às roupas, Bruna comenta suas escolhas para presentear sua mãe. “Eu sempre dou roupas para minha mãe, mas neste ano quero fazer diferente. Ela ama fazer artesanato, então quero dar uma máquina de costura, além de levá-la para sair”. 
 
Apesar de trabalhar em uma loja de roupas, a funcionária afirma que as pessoas buscam presentear suas mães com jantares e cestas de presentes. “A gente sempre segura o dinheiro na hora de comprar roupas, mas todos gostam de comer, então é uma escolha certeira”.
 
A jovem explica que a matriarca da família assim como outras mães não pede por um presente, apenas pela companhia dos filhos. “Minha mãe fala que não precisa de muita coisa, só de estar com ela basta, mas todo filho quer o melhor para sua mãe”, comenta Bruna.
 
 
FalaSantos
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por