Sindical
01/10/2018 - 03h49

Nova diretoria do SCCDCPS toma posse em concorrida cerimônia


 
Em concorrida cerimônia que atraiu a atenção do segmento portuário, tomou posse na noite da última quinta-feira (27) a nova diretoria do Sindicato dos Conferentes de Carga, Descarga e Capatazia do Porto de Santos, São Vicente, Guarujá, Cubatão e São Sebastião (SCCDCPS) para o triênio 2018/2021.
 
Realizada no salão social da entidade, a solenidade contou com a presença de autoridades, representantes do Poder Público e da classe política da região, da Marinha do Brasil, dirigentes sindicais, executivos das empresas portuárias, órgão gestor de mão de obra (Ogmo) de Santos, associados, familiares, profissionais de imprensa e simpatizantes em geral.
  
Após agradecer a presença das quase 100 pessoas que prestigiaram a posse, com um discurso objetivo o presidente eleito Wilk Aparecido de Santa Cruz fez questão de cumprimentar os demais dirigentes que compõem a nova administração. "Inicialmente quero saudar a minha diretoria e agradecer todos vocês que resolveram tripular esse barco comigo, sabedores que são que a travessia não vai ser fácil."
 
Em seguida, traçou um breve histórico sobre o seu ingresso na profissão, em 1973. "Este mês fez 45 anos que eu entrei nesta casa pela primeira vez, no dia 17 de setembro, ocasião em que fiquei ouvindo os conselhos e ensinamentos do companheiro Nelson Antunes Mattos, então presidente do sindicato, assim como sobre as particularidades e importância da profissão e hoje me sinto muito feliz por exercê-la", afirmou o mandatário.
 
A trajetória de lutas da categoria que surgiu em 18 de dezembro de 1932, data de fundação do SCCDCPS, também foi destacada por Wilk. "Em dezembro este sindicato completará 86 anos de existência e neste período nossa categoria profissional vem prestando relevantes serviços ao desenvolvimento do trabalho portuário do Brasil, em especial ao Porto de Santos, e em razão disso rendo aqui minhas homenagens aos pioneiros deste sindicato e a todos os que nos antecederam e deixaram para nós um imenso legado de conhecimento, que nos possibilitou desenvolver a expertise necessária para exercício amplo do trabalho portuário de conferência de carga", disse o presidente empossado.
 
O novo líder dos conferentes fez questão de ressaltar a relevância da categoria no cenário portuário nacional e sua contribuição para o crescimento do setor. "É com muita humildade que ora lembro que os dirigentes das mais diversas empresas portuárias do Brasil e do Porto de Santos, em todos os níveis hierárquicos, muito aprenderam no início de seu mister com os conferentes desta casa, o que muito nos orgulha."
 
Os constantes avanços tecnológicos, a capacitação profissional e a legislação que regula o segmento também mereceram a atenção de Wilk. "As inovações na atividade portuária que se utiliza cada vez mais de novas ferramentas e tecnologias requer atualizações profissionais permanentes, pois onde houver um navio carregando ou descarregando carga nos portos lá também deve estar o conferente, considerando que somente a tecnologia sem o fator humano não possui o condão de conferencia de carga. Corrobora tal fato a vontade do legislador que contemplou o exercício da atividade de conferência exclusivamente aos conferentes de carga e descarga, categoria profissional diferenciada, conforme dispõe o marco regulatório da atividade portuária", pontuou o sindicalista.
 
A crise política e econômica do País e seus reflexos no mercado de trabalho foram outros importantes temas abordados pelo conferente eleito. "Hoje nossa diretoria assume o compromisso solene de dirigir os destinos do sindicato pelos próximos três anos e é com serenidade que compreendemos as imensas dificuldades que vamos enfrentar para realizar o nosso trabalho a contento, em razão principalmente das turbulências porque passam os brasileiros nos campos político, econômico, social, e principalmente no trabalhista, onde o desemprego e as incertezas se refletem de forma aguda nas relações capital e trabalho." 
 
Nesse sentido, o estreitamento das relações com a classe patronal está na pauta da nova gestão. "Não obstante às dificuldade que se apresentam hoje, é nosso pensamento que os empregadores, sem exceção, são nossos parceiros e que o sucesso como trabalhadores portuários do Porto de Santos passa necessariamente pelo sucesso daqueles que nos dão emprego, os operadores portuários de Santos, uma vez que acreditamos que a autocomposição é a solução para as nossas diferenças, porque é através da negociação capital e trabalho, mesmo exaustiva, porém necessária, que está a saída para a solução dos nossos problemas existentes ou que venham a existir", asseverou o dirigente.
 
O resgate da Intersindical Portuária foi outro ponto alto do discurso. "Aos nossos irmãos trabalhadores portuários das outras categorias profissionais, lhes trago uma mensagem de amizade e união e penso que a revitalização da Intersindical Portuária é o caminho porque ela nos fará mais solidários e fortes, lembrando sempre que ninguém é tão bom sozinho do que todos nos juntos". Criado no final dos anos 1990 pelos vários sindicatos portuários de Santos para fazer frente ao retrocesso trabalhista imposto pela chamada Lei de Modernização dos Portos (Lei nº 8.630/93), o colegiado laboral formado por lideranças sindicais foi aos poucos caindo no esquecimento pelos dirigentes que nele se sucederam, já mais preocupados e sobretudo ocupados com suas respectivas entidades.
 
Ao término do pronunciamento, Wilk revelou todo seu entusiasmo diante do desafio. "Caros conferentes, eu os saúdo e agradeço pela confiança depositada nessa diretoria ao tempo em que deixo para vocês nossa palavra de otimismo e esperança de um futuro melhor, porque não iremos decepcioná-los e me permito lembrá-los que junto com a exclusividade da conferência de carga que a lei nos contempla, também vem à contrapartida da responsabilidade do exercício da profissão de conferente, e prestarmos um excelente serviço profissional para quem nos emprega é um dever e uma obrigação, esta é a visão inarredável desta diretoria", concluiu o novo presidente do SCCDCPS.
 
Eleita em chapa única após receber 283 votos no pleito realizado entre os dias 6 e 9 de agosto, a nova diretoria é composta por Wagner Moreira Gonçalves (vice-presidente), Alexandre Alberto Soares Souza (primeiro secretário), José Carlos Garcia (segundo-secretário), César Augusto Mariano Fernandes (primeiro tesoureiro), Clayton Pereira Gonçalves (segundo tesoureiro) e Antônio Madeira Fernandes Filho (diretor de assistência social), além de Wilk.
 
O Conselho Fiscal é formado por Roberto Alves Júnior, Karina Royas Marques e Eliazar Cabral de Vasconcelos, enquanto os cargos de delegados na Federação Nacional dos Conferentes e Consertadores de Carga e Descarga, Vigias Portuários, Trabalhadores de Bloco, Arrumadores e Amarradores de Navios, nas Atividades Portuárias (FENCCOVIB) são ocupados por Wagner Moreira Gonçalves e José Tarciso Florentino da Silva.
 
Na suplência da diretoria estão José Joaquim de Almeida Júnior, Antônio Pereira Palhas Neto, Werte Ávila Castanha, José Pedro Fernandes, José Augusto Santana Azanha, Arnaldo Maneira Júnior e José Roberto Corrêa, ficando o conselho fiscal suplementar com os portuários Rony Edson Leal, Carlos Alberto Castro Azevedo Filho e José Roberto dos Santos. Wilk Aparecido e Milton Nachtajler são os delegados substitutos na federação.


AssCom SCCDCPS / Denise Campos De Giulio
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por