Saúde
30/10/2018 - 04h35

Policlínicas fazem testes rápidos de sífilis a partir desta terça


Antes, apenas o Centro de Testagem e Aconselhamento (Rua Silva Jardim, nº 94) oferecia esse material
 
Para ampliar os exames de sífilis e iniciar o tratamento o mais rápido possível, quando necessário, a partir desta terça-feira (30), testes rápidos estarão disponíveis em seis policlínicas. Antes, apenas o Centro de Testagem e Aconselhamento (Rua Silva Jardim, nº 94) oferecia esse material.
 
O resultado do teste rápido, feito a partir de gota do sangue retirada da polpa do dedo, fica pronto em 40 minutos. Em caso positivo, é feita coleta de sangue para confirmação, que sai em sete dias.
 
As policlínicas que disponibilizarão o teste são Caruara (Rua Andrade Soares s/nº); Vila Nova (Praça Iguatemi Martins s/nº); Gonzaga (Rua Assis Correia, 17); Piratininga (Praça João Mendes de Moraes s/nº); Morro da Penha (Rua Três, 150) e Unidade de Cuidado do Porto (Rua General Câmara, 507).
 
"A ideia é que, no futuro, disponibilizemos para as demais policlínicas. A sífilis é um problema de saúde pública que precisamos combater incansavelmente", destaca Ana Paula Valeiras, chefe do Departamento de Vigilância em Saúde.
 
A sífilis é uma infecção sexualmente transmissível, provocada pela bactéria Treponema pallidum e que, por vezes, é silenciosa, manifestando sintomas apenas em estágios mais avançados da infecção. Pode ainda ser transmitida da mãe para o bebê durante da gravidez ou no momento do parto.
 
Quando os sintomas aparecem, os mais comum são feridas indolores, que podem aparecer na parte interna ou externa da região genital. Depois de alguns dias, somem mesmo sem tratamento, embora a pessoa continue infectada.
 
De duas a oito semanas após o contágio, algumas pessoas desenvolvem vermelhidão pelo corpo, coceira e gânglios inchados nas axilas e pescoço, acompanhados por dores musculares, febre, dor de garganta e dificuldade para engolir. Esses sintomas também desaparecem sem tratamento, o que não significa que a pessoa esteja curada.
 
Números em Santos
 
2018                577 (registros até junho)
 
2017                799
 
2016                892
 
2015                878
 
No período 2014-2018, a média de idade dos infectados por sífilis é de 37 anos.
 
 
Da Redação
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por