Mundo
20/12/2018 - 04h24

Está sobrando emprego no Canadá


País enfrenta a maior escassez de mão de obra em 42 anos
 
Magali Dion tem sérios problemas para contratar novos funcionários para a Cerpajo, fazenda que produz soja, milho e vegetais em Saint-Liboire, no leste do Canadá. "Precisamos encontrar mais cinco trabalhadores para operar normalmente", lamentou ela, ao El País.
 
A situação de Magali está longe de ser única: enquanto metade do mundo está trabalhando para reduzir sua taxa de desemprego, no Canadá as coisas parecem muito diferentes.
 
A taxa de desemprego do país atualmente está em 5,6%, seu nível mais baixo desde 1976. E, no ano passado, foram criados 219 mil postos, 1,2% a mais do que nos 12 meses anteriores.
 
Apesar dos bons indicadores, o Canadá enfrenta um problema: não consegue lidar com a crescente demanda por trabalhadores em alguns setores de sua economia. Ou seja, sobram empregos.
 
Vagas de trabalho não preenchidas na região da Colúmbia Britânica ou em fábricas de processamento de alimentos no estado de Nova Brunswick se tornaram constantes. Também é comum a dificuldade para encontrar motoristas de caminhões de carga em Manitoba, operadores de instalações elétricas em Saskatchewan e diaristas para plantações em Quebec.
 
O Canadá precisa de mais trabalhadores para alimentar um economia em plena forma, que acumulou oito anos consecutivos de expansão e deve fechar 2018 com crescimento superior a 2%.
 
Os problemas para encontrar trabalhadores para preencher vagas se tornaram uma verdadeira dor de cabeça, especialmente para os pequenos e médios empreendedores.
 
Na semana passada, relatório da Federação de Empresas Independentes do Canadá apresentou números que ilustram uma escassez de mão de obra que não para de crescer. Nos últimos quatro meses, cerca de 430 mil empregos em pequenas e médias empresas não puderam ser preenchidos devido à falta de candidatos.
 
Em um ano, as vagas não preenchidas aumentaram de 2,9% para 3,3%, segundo dados da federação, que reúne mais de 110 mil empresários. 
 
O estudo também revela os setores mais afetados pela falta de mão de obra: serviços, construção, agricultura e hidrocarbonetos.
 
Quase quatro em cada dez pequenas e médias empresas canadenses têm problemas em contratar os trabalhadores que precisam, de acordo com um relatório recente do Banco de Desenvolvimento de Negócios do Canadá.
 
"As pessoas estão se aposentando e não podemos substituir suas habilidades", afirma Jocelyn Bamford, vice-presidente da Automatic Coating, uma empresa de Ontário especializada em revestimentos de oleoduto.
 
O salário médio por hora nas vagas disponíveis no Canadá é de cerca de 21 dólares canadenses (R$ 61), segundo dados oficiais. Quebec é um dos estados que mais sofre com escassez de mão de obra. Das 430 mil vagas em todo o Canadá, quase 118 mil estão lá.
 
Envelhecimento da população
 
O surto econômico e o envelhecimento da população estão por trás dessa crescente escassez de mão de obra. De acordo com o El País, as soluções propostas pelos especialistas do mercado de trabalho incluem a melhoria dos salários e, acima de tudo, incentivo à imigração.
 
Em novembro de 2017, o governo de Justin Trudeau anunciou um plano de três anos para aumentar a chegada de trabalhadores estrangeiros: de acordo com o planejado, este ano o Canadá deve receber mais de 300 mil pessoas. Em 2019, serão 330 mil, e em 2020, 340 mil. Paralelamente, vários programas para a atração de trabalhadores temporários são mantidos. Em 2017, o país emitiu 286 mil vistos desse tipo.
 
 
Época Negócios
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por