Cultura e Entretenimento
01/02/2019 - 03h13

A apresentação dos Beatles no telhado da Apple, há 50 anos, foi uma inspirada despedida


No dia 30 de janeiro de 1969, há 50 anos, a banda The Beatles fez a mítica apresentação-surpresa conhecida como “Apple Rooftop Concert” no telhado da gravadora Apple, em Londres.
 
 
Não foi o primeiro show de uma banda de rock no topo de um prédio, em dezembro de 1968, os americanos do Jefferson Airplane conseguiram tocar uma música em cima do Schuyler Hotel, em Nova York, antes que a polícia acabasse com a festa.
 
Mas, no caso dos Beatles, a apresentação tornou-se um ícone não apenas por se tratar da maior banda de rock de todos os tempos. Aquela seria a última vez que a banda tocaria em público depois de quase três anos fora dos palcos. O show improvisado, com 42 minutos de duração, teve um tom nostálgico. Ali se pressentia o fim da quarteto.
 
Sob pressão comercial e com desgaste nas relações entre os integrantes, naquele janeiro de 1969 os Beatles estavam envolvidos na produção de um disco e um filme que capturasse processo criativo, sem artifícios de estúdio, numa espécie de resgate ao rock’n’roll puro do começo da carreira. Surgiu daí a ideia de apresentarem-se em um espaço aberto, diferente dos tradicionais estúdios. Não há consenso sobre quem deu a ideia de gravar no terraço da Apple, no endereço 3 Savile Row — o fato era que era o mais viável para uma gravação em cima da hora (e o equipamento já estava todo no porão do prédio).
 
 
A gravação ocorreu em 30 de janeiro de 1969, uma quinta-feira, por volta do meio-dia. O frio intenso e a ventania cortante daquele dia enrubesceu ainda mais a face rosada de George Harrison, John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr e o tecladista convidado Billy Preston (americano que eles conheceram em 1962, quando excursionaram com Little Richard) soltaram os primeiros acordes. Quem registrou a apresentação foi o americano Michael Lindsay-Hogg.
 
“Get Back”, “Don’t Let Me Down”, “I’ve Got a Feeling”, “One After 909”, “Dig a Pony”, “God Save the Queen” e um trecho de “I Want You (She’s So Heavy)” foram as músicas tocadas. Três das canções tocadas no concerto foram utilizadas por Phil Spector para compilar o álbum Let It Be: “Dig a Pony”, “I’ve Got a Feeling” e “One After 909”.
 
Em seus horários de almoço, os trabalhadores e transeuntes que passavam por ali se perguntavam de onde vinham aquelas músicas. Uma multidão se juntou na rua para olhar para cima e ver os Beatles, que estavam tocando em alto volume. A polícia foi chamada e chegou durante o terceiro take de ‘Get Back’. Subiu no telhado pedindo para que o som fosse abaixado. Uma câmera montada na recepção da Apple registrou o momento em que policiais entraram no prédio para ordenar ao grupo que parasse de fazer aquele barulho todo.
 
 
Os amplificadores de John e George foram desligados antes mesmo do primeiro refrão. Paul improvisou algumas palavras no final da canção: “Vocês têm tocado no telhado de novo, e vocês sabem que sua mãe não gosta disso, oh ela fica brava, ela prenderá vocês!”. Uma saudação da esposa de Ringo, Maureen, levou Paul a agradecê-la, “Thanks, Mo!”. Esses outtakes podem ser ouvidos na versão de Get Back do Anthology 3.
 
“Let it be” foi o último álbum da banda (em 1969, eles ainda gravariam e lançariam o LP “Abbey Road”), que chegou às lojas em maio de 1970, pouco depois de Paul McCartney anunciar sua saída, que significou, na prática, o fim dos Beatles. Ao fim da última faixa desse último álbum, “Get back”, o produtor Phil Spector enxertou uma fala irônica de John Lennon no show, que serve como despedida: “Eu gostaria de agradecer em nome do grupo e de nós mesmos, e espero que tenhamos passado na audição”.

 
 
Rádio Peão Brasil
 
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por