Cidades
30/05/2019 - 07h32

Vagas de estacionamento e pontos de ônibus geram dúvidas no projeto da Nova Ponta da Praia


Questionamentos foram feitos pelo vereador Sadao Nakai (PSDB) após encontro com o gestor do projeto
 
O projeto da Nova Ponta da Praia, série de intervenções que acontecem no bairro, segue sendo alvo de críticas e falta de esclarecimentos por parte da Prefeitura de Santos. É o que alega o vereador Sadao Nakai (PSDB), após encontro com o gestor do projeto, o arquiteto Glaucus Farinello. Segundo o parlamentar, questões relacionadas aos pontos de ônibus e ao número de vagas de estacionamentos seguem sem ser elucidadas. Farinello rebateu as afirmações do vereador.
 
De acordo com Sadao, inicialmente, o arquiteto afirmou que 50 pontos de estacionamento seriam eliminados, o que corresponde a 25% do total de vagas existentes. O gestor do projeto garantiu que as 50 vagas localizadas na lateral do Aquário Municipal, sentido Ferry Boat, não sofrerão alteração, apesar delas não estarem sinalizadas na planta apresentada pela prefeitura.
 
A respeito dos pontos de ônibus no local, ainda segundo o parlamentar, o arquiteto não especificou se haverá uma redução das paradas, limitando-se a dizer apenas que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de Santos promoveu uma reorganização dos pontos na via. Farinello afirmou que vão ser mantidos os pontos em locais que recebem maior fluxo de pessoas, como o Deck do Pescador e a Ponte Edgard Perdigão.
 
Outro ponto questionado pelo vereador diz respeito aos espaços destinados às canoas havaianas. No projeto, foi possível identificar 18 vagas para os equipamentos. Enquanto esteve à frente da Secretaria Municipal de Esportes (Semes), o tucano apontou que, pelo menos, 30 equipamentos operam no local e solicitou que o projeto siga com essa quantidade após as intervenções.
 
"É possível pedir o levantamento para a Semes. Havia 30 canoas havaianas operando no município. Se não for feito de maneira adequada, esse é um problema que vai ficar para o município resolver. Tem que ouvir todas as partes antes de sair realizando as obras", pontuou o vereador.
 
Vagas para motociclistas
 
O grupo de motociclistas Amigos do Deck, que conta com quase 400 pessoas, questionou Nakai sobre a possibilidade do espaço para as motocicletas ser eliminado devido às obras. No local, atualmente, há 30 vagas.
 
O parlamentar preside as duas Comissões Especiais de Vereadores (CEV) que discutem as intervenções no bairro. Uma delas debate soluções para os impactos provocados pela travessia de balsas entre Santos e Guarujá e outros temas relacionados ao sistema viário da Ponta da Praia. A outra atua em legislações e temas referentes ao planejamento urbano.
 
Outro lado
 
Em entrevista para A Tribuna On-line, o arquiteto Glaucus Farinello, gestor do projeto, rebateu as afirmações do parlamentar.
 
"Foi feita uma reunião, há duas semanas, para tratar de todo o projeto da Nova Ponta da Praia. Eu fui convidado pelo vereador Sadao e prontamente atendi ao chamado. Compareceram o Rodrigo, engenheiro da obra, eu e os vereadores Sadao, Boquinha [PSDB] e Fabrício Cardoso [PSB]. E todos os pontos citados pelo Sadao foram prontamente respondidos", diz Farinello.
 
"A única pergunta que não pude responder com números concretos foi a questão das vagas de estacionamento. Elas serão suprimidas porque a supressão é uma premissa do projeto. O projeto foi feito para valorizar o pedestre, a atividade náutica. Se nós achássemos que estava tudo bem com a Ponta da Praia, não iríamos mexer no que está consolidado", explica.
 
"É um projeto turístico, urbano e esportivo. Pensamos em um projeto que possa se conectar com o jardim da orla, que está no Guiness Book. Deixar de ser somente uma calçada, um local para passagem e estacionamento de carro", completa.
 
"Precisamos retirar vagas de estacionamento para a ampliação da calçada, criação de espaços de lazer, mirante. A dinâmica urbana de mobilidade está mudando no mundo inteiro. O vereador levanta pontos que o mundo inteiro vê outro caminho", diz.
 
"Nós estamos ampliando a área de canoas havaianas. Nós tivemos dois encontros com os praticantes, e nossa ideia é fazer outros. Em metragem quadrada, o projeto é ter uma área igual para mais. Hoje, são cinco rampas náuticas. No futuro, serão sete. Todas aquelas rampas que apresentam problemas estruturais serão refeitas. Os problemas serão superados", afirma.
 
"Ainda não dá para precisar quantos espaços terão para as canoas. A Semes fez um levantamento prévio, na época em que o Sadao era secretário. Mas, teremos uma ampla discussão com os canoístas, porque ali é um espaço público e precisa ser regulamentado. É preciso fazer um levantamento, um cadastro. Ainda não tem o número porque será discutido", complementa.
 
"Em relação aos pontos de ônibus, foi informado que foi feito um projeto, junto à CET-Santos, onde as estruturas foram readequadas, realocadas e reajustadas. Existirão dois pontos, um no Deck do Pescador e outro na Ponte Edgar Perdigão. Eles são distantes cerca de 500 metros, e acreditamos que seja o suficiente para atender aquele ponto. Eles estão em lugares estratégicos. O primeiro por ser um ponto turístico, e o segundo por ser até uma conexão de barcas", afirma.
 
"O único ponto que ainda não havia sido discutido era a questão dos motociclistas. Mas já está superado. A Sedurb fez uma reunião ontem [terça-feira] com eles, no Deck do Pescador. Não tinha sido pensado, mas todo projeto é passível de adequação. Então, foi prontamente ajustado, e terão os espaços para os motociclistas também no projeto", conclui Farinello.
 
Projeto da Nova Ponta da Praia
 
Com parceria da iniciativa privada, o projeto da Nova Ponta da Praia foi anunciado em janeiro pela prefeitura, com investimento de cerca de R$ 130 milhões. Entre as intervenções, estão com a construção do Centro de Atividades Turísticas (CAT), além do novo Mercado de Peixes. As obras devem ser finalizadas em junho de 2020.
 
 
Da Redação
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por