Previdência
13/01/2020 - 09h12

Pente-fino no INSS terá início com a revisão de 300 mil auxílios


Corte de benefícios por incapacidade poderá economizar R$ 5 bilhões ao ano
 
O pente-fino do governo Jair Bolsonaro nos benefícios por incapacidade do INSS terá início neste trimestre com a convocação de mais de 300 mil beneficiários de auxílios-doença, segundo uma fonte do setor de perícias médicas da Previdência.
 
A expectativa do governo federal é acelerar essa revisão para que ela funcione paralelamente a uma força-tarefa, que envolverá servidores de diversas áreas, para destravar a fila de pedidos de benefícios previdenciários e sociais, informou um membro do alto escalão do INSS.
 
O avanço do pente-fino nos benefícios por incapacidade também tem a função de amenizar o possível aumento das despesas da Previdência, caso a força-tarefa consiga aumentar significativamente as concessões.
 
Somente neste ano, cortes de benefícios que dependem de avaliação médica para serem mantidos podem resultar em uma economia de R$ 5 bilhões para a União.
 
Além de auxílios, a nova fase do pente-fino realizado pela perícia médica da Previdência colocará na mira o BPC (Benefício de Prestação Continuada) pago a pessoas com deficiência.
 
A revisão de aposentadorias por invalidez, porém, não será foco das novas convocações, ao menos inicialmente.
 
A avaliação é que as revisões desses benefícios foram praticamente esgotadas pelo pente-fino realizado na gestão do ex-presidente Michel Temer.
 
Procurada, a Secretaria de Previdência apenas reafirmou que pretende iniciar o pente-fino ainda neste mês.
 
“O pente-fino dos benefícios por incapacidade está previsto para começar este mês. Em breve, será divulgado o cronograma de divulgação de resultados para 2020”, diz a nota da Secretaria de Previdência.
 
Entre os peritos, porém, a avaliação mais realista é que as convocações terão início até o fim de março.
 
Apresentada como uma das primeiras medidas do governo para reduzir gastos com benefícios, a revisão dos benefícios por incapacidade teve sucessivos adiamentos em 2019 porque a Dataprev precisava concluir um sistema que permitisse o cruzamento de dados das perícias médicas com informações do INSS que, neste novo programa, são diferentes dos dados analisados em revisões anteriores.
 
Além de reavaliar benefícios por meio de perícias, o governo realiza um programa de revisão nos pagamentos realizados pelo INSS que possuem indícios de irregularidade. Essa análise alcança todos os tipos de benefícios, como aposentadorias e pensões por morte. 
 
Para ampliar a capacidade de análise e revisões de processos, o programa prevê o pagamento de bônus aos servidores administrativos que trabalharem fora do expediente normal.
 
A bonificação para o programa de combate a fraudes será de R$ 57,50 por processo administrativo avaliado.
 
No caso do pente-fino nos benefícios por incapacidade, a bonificação para os médicos peritos será de R$ 61,72 por perícia.
 
 
Agora SP
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por