Política
06/07/2020 - 04h03

Após desistência de Kenny, pré-candidatos a prefeito se movimentam no tabuleiro político


Confira quem já anunciou que pretende entrar na disputa e quem desistiu de concorrer.


 
O político mineiro Magalhães Pinto dizia que política é como nuvem: cada hora que se olha está de um jeito. Uma prova disso foi a desistência do deputado federal Kenny Mendes de ser candidato a sucessor do prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB). Com ele na disputa, o cenário era um. Sem ele, outro, completamente diferente. Até 15 de novembro, quando acontece o primeiro turno da eleição, muita coisa pode acontecer, mas o céu ainda nublado que se apresenta sobre a cabeça do eleitor santista, no momento, é o seguinte:
 
Rogério Santos (PSDB)
 
Titular da Secretaria de Governo até 30 de maio, é o nome preferido pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa. Braço direito e homem de absoluta confiança do atual chefe do Executivo santista, também recebe o apoio dos nomes mais fortes da atual administração (todos os secretários e ocupantes de outros cargos de confiança) e da maior parte da bancada de apoio ao governo na Câmara de Vereadores. A relação de Rogério Santos com a família Barbosa é antiga, desde a época em que atuava no gabinete do então vereador Paulo Gomes Barbosa — pai do atual prefeito.
 
Augusto Duarte (PSDB)
 
Vereador em primeiro mandato, manifestou a vontade de ser o candidato do partido mas, sem o apoio do prefeito Paulo Barbosa, suas chances são praticamente nulas.
 
João Paulo Tavares Papa (PSDB)
 
Embora tenha sido bem avaliado em seus dois mandatos como prefeito, as pessoas mais próximas não veem nele grande entusiasmo para retornar ao cargo. Outro sinal é o fato de Papa não ter deixado o cargo de diretor de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente da Sabesp. Mas pode surpreender, manifestando o desejo de disputar uma prévia do partido.
 
Kenny Mendes (PP)
 
Apesar da votação expressiva para deputado estadual e ser bem lembrado nas pesquisas de intenção de voto, optou por continuar seu mandato na Assembleia Legislativa. Mas deve ser muito atuante na eleição, apoiando Rogério Santos. 
 
Márcio Aurélio Soares (PDT)
 
O médico infectologista será o candidato do partido, que teve Ciro Gomes na disputa presidencial de 2018. Em 2016, com o jornalista Paulo Schiff, o PDT ficou em terceiro lugar na eleição para prefeito. Em 2018, na corrida presidencial, Ciro Gomes ficou em segundo lugar na preferência do eleitor santista (14,8% dos votos válidos).
 
Douglas Martins (PT)
 
Doutor em Direito, jornalista e músico (é líder da roda de samba “Esquerdantina”), foi escolhido por aclamação. Sondados, outros nomes do partido declinaram, como o ex-ministro da Saúde, Arthur Chioro, a vereadora e ex-prefeita Telma de Souza e o ex-vereador e historiador Reinaldo Martins (que foi candidato a vice-prefeito na chapa encabeçadas por Carina Vitral, do PCdoB, em 2016).
 
Rui De Rosis (PSL)
 
Atual presidente da Câmara, admitiu estar disposto a entrar na disputa. Ele afirma ser um profundo conhecedor dos problemas da cidade e espera o apoio de diversos vereadores em sua campanha.
 
Antônio Carlos Banha (PMDB)
 
Vereador no sexto mandato, anunciou seu interesse em ser candidato a prefeito, com o apoio das lideranças estaduais e federais do partido, entre elas o presidente nacional da legenda, o deputado federal Baleia Rossi.
 
Rosana Vale (PSB)
 
Estimulada por eleitores a se lançar na disputa, a jornalista tem dito que vai continuar representando a Baixada Santista em Brasília. O ex-governador Márcio França defende o apoio do partido ao candidato indicado pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa já no primeiro turno.
 
Paulo Corrêa Júnior (DEM)
 
O deputado estadual lançou-se na disputa após a desistência de Kenny Mendes. No entanto, eleitores o pressionam para que não se candidate e dê continuidade ao seu mandato na Assembleia Legislativa.
 
Tenente Coimbra (PSL)
 
Lançou seu nome como pré-candidato após a desistência de Kenny Mendes. Ferrenho defensor do presidente Jair Bolsonaro e do uso de armas de fogo pelos cidadãos de bem, precisa se viabilizar dentro de seu próprio partido, cuja principal liderança local é o deputado federal Júnior Bozzella —que rompeu com Bolsonaro. 
 
Ivan Sartori (PSD)
 
O desembargador aposentado busca se apresentar como o representante do bolsonarismo em Santos, mas ainda encontra dificuldades em se viabilizar dentro de seu próprio partido, que tem como maior liderança em Santos o empresário Marcelo Teixeira, do Complexo Educacional e de Comunicação Santa Cecília. 
 
Delegado Romano (DC)
 
Mais do que ser um representante do bolsonarismo, o pré-candidato do Democracia Cristã (partido de José Maria Eymael) busca se viabilizar como representante da extrema-direita, defendendo ideias como a de que o nazismo é de esquerda e que o novo coronavírus foi criado em laboratório por chineses comunistas.
 
Ariovaldo Feliciano (REP)
 
Atual provedor da Santa Casa de Santos, acredita que os resultados obtidos na gestão da entidade o credenciam a entrar na disputa, pelo Republicanos, novo nome do PRB, partido cujas principais lideranças nacionais estão ligadas à Igreja Universal do Reino de Deus.
 
João Villela (NOVO)
 
O empresário do segmento de artigos de decoração deve ser o candidato do partido, que teve João Amoedo na disputa presidencial de 2018. Vilela conquistou esta condição após a saída do partido do atual secretário municipal de Saúde, Fábio Ferraz, que tentava viabilizar sua candidatura com apoio do prefeito Paulo Alexandre.
 
Guilherme Prado (PSOL)
 
O professor e empreendedor solidário será o candidato do partido, que teve Guilherme Boulos como candidato a presidente em 2018. Coordenador do Livres Baixada Santista – Rede de Produção e Consumo Consciente, ele terá como vice a bancária Eneida Koury, que foi a candidata a prefeita do partido em 2008 e 2012.
 
Marcelo Coelho (PRTB)
 
Candidato a deputado federal em 2018 e a vereador em 2016 (ambas as vezes sem sucesso), e empresário deve ser o candidato do partido cujo presidente nacional é Levy Fidelix.
 
Moyses Fernandes (PV)
 
Então no DEM, o jornalista foi candidato a vice-prefeito em 2016, na chapa encabeçada por Marcelo Del Bosco Amaral. 
 
Outros candidatos: Também manifestaram vontade de disputar a sucessão de Paulo Alexandre Barbosa o empresário Bayard Umbuzeiro (PTB), o diretor de Comunicação do Santos FC, Décio Couto Clemente (PROS); Carlos Paz (Avante) e o diretor de teatro Tanah Corrêa (Cidadania) e Luiz Lobão (PTC), representante do movimento Vem pra Rua em Santos.
 
 
Jornal da Orla
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por