Previdência
20/07/2020 - 14h54

Golpistas usam pandemia para obter número do benefício do INSS


Com postos fechados, órgão liga para segurados, mas não pede dados pessoais
 
O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) informou na última sexta-feira (17) que golpistas estão telefonando para segurados, aposentados e pensionistas para pedir dados pessoais ou o número do benefício.
 
Com essas informações, quadrilhas especializadas em fraudes financeiras são capazes de realizar compras ou fazer empréstimos em nome do segurado, entre outras ações capazes de causar prejuízo.
 
Ao entrar em contato com as vítimas, criminosos se passam por atendentes da Central 135, que é a central telefônica oficial utilizada pelo INSS para receber e fazer chamadas para os segurados.
 
Esse tipo de golpe exige ainda mais atenção dos segurados neste momento. Com suas agências fechadas devido à pandemia de Covid-19, o instituto passou a telefonar e a mandar mensagem por SMS para cidadãos que solicitaram benefícios, mas precisam cumprir exigências (entregar documentos ou dar informações) para que seus requerimentos sejam analisados.
 
O INSS alerta, porém, que não pede a confirmação de dados pessoais ou o número do benefício quando entra em contato com o segurado.
 
Em vez disso, o atendente da Central 135 fornece orientações sobre como proceder para o envio da documentação.
 
Ao procurar o segurado, o instituto ainda informa exatamente qual a pendência no requerimento.
 
Caso receba uma ligação solicitando dados pessoais e informação do benefício, o segurado deve encerrar a ligação e entrar em contato com o INSS pelo telefone 135.
 
Para cumprir a exigência enquanto as agências da Previdência estiverem fechadas devido à pandemia de Covid-19, é necessário baixar o aplicativo Meu INSS ou acessar o site meu.inss.gov.br.
 
Quem mora no estado de São Paulo pode levar cópias da documentação exigida em um envelope lacrado até a porta de uma agência da Previdência (veja os detalhes abaixo).
 
INSS liga para quem pode destravar benefício
 
O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) começou a notificar na quarta-feira (15) segurados que precisam cumprir algum tipo de exigência para que seus pedidos de benefícios possam ser analisados.
 
Existem atualmente 827 mil pedidos de exigências pendentes em todo o país.
 
Quando o cidadão recebe uma notificação de cumprimento de exigência significa que ele precisa entregar algum documento ou prestar informações para que o INSS possa analisar se há ou não direito ao benefício solicitado.
 
A notificação que será enviada para o celular é automática e aparece no visor do aparelho de quem possui o aplicativo Meu INSS instalado.
 
Também na última quarta-feira, o INSS passou a entrar em contato por telefone com os segurados que precisam cumprir exigências. As ligações são realizadas pela Central 135.
 
Quem receber a ligação será informado da pendência no requerimento e deverá fazer o envio da documentação pelo Meu INSS (site ou aplicativo).
 
Nesta fase, cerca de 325 mil segurados deverão ser contatados por um atendente do instituto.
 
Além da notificação pelo Meu INSS e da ligação do 135, cerca de 300 mil segurados também poderão receber um SMS com as orientações sobre como proceder para o envio da documentação.
 
O INSS produziu um vídeo para explicar como enviar cópias da documentação exigida pelo Meu INSS. Clique aqui para assistir.
 
Ao contatar o cidadão, o instituto informa qual documento ou informação precisa ser entregue para a conclusão da análise do pedido de benefício.
 
Mas esses dados também ficam disponíveis para consulta pelo telefone 135 ou pelo Meu INSS.
 
Em São Paulo, também é possível entrar em contato com os plantões, cujos telefones e endereços de emails constam nas portas das agências.
 
Como entregar a documentação em uma agência de SP
 
Quem mora no estado de São Paulo, além de poder usar o Meu INSS, tem a opção de encaminhar cópia simples da documentação por meio do serviço dos Correios ou levar pessoalmente o envelope lacrado até uma das agências da Previdência.
 
Se optar por entregar a documentação pessoalmente, as cópias legíveis e sem rasura da documentação exigida devem ser colocadas em envelope que, lacrado, precisa ser depositado em uma das urnas disponíveis nas unidades do INSS em São Paulo. O INSS não emitirá protocolo.
 
Dentro do envelope, além da cópia da documentação solicitada na exigência, deverá haver a cópia de um documento de identidade com foto (RG ou Carteira Nacional de Habilitação) do segurado.
 
O cidadão também precisa colocar no envelope uma declaração, de próprio punho e assinada, responsabilizando-se pela autenticidade e veracidade das informações prestadas.
 
Veja o modelo da declaração:
 
AUTODECLARAÇÃO DE AUTENTICIDADE E VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES APRESENTADAS
 
Eu (nome do requerente) ___________________________________, portador do CPF nº ____________ e do RG nº ________________, declaro que as cópias que depositei em uma urna na agência do INSS são autênticas, feitas a partir de documentos originais. Declaro também que todas as informações que constam nos documentos apresentados são verdadeiras.
 
Declaro saber que estou sujeito (a) às penalidades previstas nos artigos 171 e 299 do Código Penal, em caso de declaração falsa ou diferente de fato ou situação real ocorrida, além de estar obrigado (a) a devolver valores recebidos indevidamente, quando for o caso.
 
Local __________________________________ Data ___/___/___
 
______________________________________________________
Assinatura e identificação do (a) requerente ou representante legal
 
Fora do envelope
 
Do lado de fora do envelope, é necessário escrever as seguintes informações:
 
• Nome completo do segurado;
 
• CPF do segurado;
 
• Endereço completo com CEP;
 
• Número do telefone do segurado com o DDD, ou telefone para recado com o nome de quem o receberá;
 
• Endereço de e-mail, se tiver;
 
• Data em que o envelope está sendo deixado na agência
 
Horário de entrega
 
O envelope poderá ser entregue em uma das agências do INSS em São Paulo, de segunda a sexta-feira, entre 7h e 13h. Não é preciso agendar.
 
Sem contato físico
 
A entrega do envelope nas agências vai ocorrer sem contato físico, por meio de uma urna disponibilizada nas unidades do INSS.
 
Não haverá funcionários no local para prestar quaisquer informações sobre o processo ou dar orientações. Os segurados não receberão nenhum protocolo ou recibo.
 
Correios
 
Nas cidades em que não houver agência da Previdência, além do Meu INSS, a entrega das cópias para o cumprimento da exigência poderá ser feita por meio do envio do envelope pelos correios para a Superintendência do INSS em São Paulo.
 
O endereço é Viaduto Santa Efigênia, 266, 2º andar, Centro, São Paulo, CEP 01033-050.
 
Não mande documentos originais
 
As cópias entregues nas agências ou enviadas pelos Correios não serão devolvidas aos segurados.
 
A documentação será escaneada e inserida no sistema. Depois, as cópias serão destruídas. Por isso, o INSS não aceitará documentos originais.
 
Após o cumprimento da exigência, o segurado pode acompanhar o andamento do processo pelo aplicativo para celular ou site Meu INSS e pelo telefone 135.
 
Auxílio-doença
 
A exigência expressa não valerá para os pedidos de antecipação de R$ 1.045 do auxílio-doença. Neste caso, os documentos só podem ser anexados pelo Meu INSS, no site gov.br/meuinss ou no aplicativo para celulares.


Agora SP
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por