Política
15/09/2020 - 08h49

Estudo mostra onda de retrocesso em democracias pelo mundo


O mundo passa por uma onda de desmocratização. É o que aponta estudo da DeMaX (Democracy Matrix). O relatório (íntegra) mostra mais países em 2019 com pontuação relativa à democracia recuando do que países com melhoria.
 
A pesquisa avalia mais de 200 itens de liberdade política, igualdade e controle legal em 179 países desde 1900. Com base no esquema de classificação da DeMaX, 83 de 179 países, ou 39,7%,  têm o status de democracia.
 
Entretanto, há menos democracias funcionais (37) do que democracias deficientes (46). No caso dos últimos, nem todos os elementos da democracia estão plenamente desenvolvidos. O estudo indica ainda que apenas 1 pouco mais de 1/4 da população mundial vive em democracias.
 
São 5 classificações: democracias funcionais, democracias deficientes, regimes híbridos, autocracias moderadas e autocracias rígidas.
 
De acordo com o estudo, o processo de enfraquecimento das democracias no último ano se deu nas democracias deficientes que apresentaram declínio. Foram 22 países nesta situação. Brasil, Sérvia, Hungria, Índia e Turquia estão entre eles.
 
Quase metade dos países classificados como democracias deficientes em 2012 apresentaram queda nos últimos anos.
 
Há também aqueles que regrediram de regimes. Vanuatu e Chipre deixaram de ser classificados como democracias funcionais e agora são democracias deficientes. O Chipre, que se tornou uma democracia funcional em 2008, não foi capaz de sustentar seu nível.
 
Doze países passaram de democracias deficientes para regimes híbridos. Serra Leoa e Fiji só atravessaram o limiar para a democracia em 2018 antes de regredirem para o regime híbrido em 2019. Malauí e a Costa do Marfim oscilaram regularmente entre as categorias de regime híbrido e democracia deficiente nos últimos anos.
 
A Índia é 1 dos representante mais notáveis do grupo que recuou de democracias deficientes para regimes híbridos em 2019. Os motivos são as tensões entre os grupos religiosos e étnicos, o aumento da violência e a formação de milícias, que se intensificaram após a vitória do BJP (Partido Nacionalista Hindu), em 2014. Segundo o relatório, o governo do primeiro-ministro Narendra Modi é acusado de transformar o país em 1 estado hindu teocrático.
 
A Bolívia foi o país que mais perdeu pontos no último ano. De acordo com a DeMaX, isso se deu por causa de disputas relativas a irregularidades nas eleições bolivianas de 2019. “Manifestantes civis e os órgãos de segurança forçaram o então presidente [Evo] Morales a renunciar. Isso resultou em uma crise política sobre sua sucessão que ainda não foi resolvida por eleições regulares, livres e justas, reduzindo pela metade pontuação de liberdade“, diz o relatório.
 
AMÉRICA LATINA
 
Na América Latina, as democracias representam 1 pouco mais do que a metade dos tipos de regime. Costa Rica, Chile e Uruguai são casos raros de democracias funcionais. Há também 9 democracias deficientes. Brasil e Argentina figuram nessa categoria.
 
Em contraste, a outra metade dos Estados latino-americanos são regimes híbridos, como México ou Bolívia. Há também 5 autocracias moderadas (o exemplo mais notável é a Venezuela). Portanto, o estudo sugere que a América Latina, que já foi apontada como a região com o maior potencial de democratização, está caminhando para o declínio democrático, como o leste europeu.
 
EUROPA E AMÉRICA DO NORTE
 
O tipo de regime dominante na Europa e América do Norte é a democracia funcional. No entanto, existem regimes híbridos na Europa (Sérvia, Montenegro, Bósnia e Herzegovina) e países entre democracias deficientes e regimes híbridos (por exemplo, Romênia e outros estados dos balcãs, como Kosovo ou Macedônia do Norte). Além disso, nem todas as democracias são funcionais. No leste europeu, as democracias deficientes predominam.
 
ÁSIA
 
Na Ásia Oriental, as democracias representam a maioria dos regimes, mas é uma região de contrastes marcantes: as democracias funcionais em Taiwan, Japão e Coréia do Sul contrastam com autocracias rígidas na Coréia do Norte e na China.
 
O Sul da Ásia é a primeira região em que as democracias estão na minoria. A Índia caiu abaixo dos limiares para uma ser considerada uma democracia pelo estudo pela 1ª vez desde o fim do estado de emergência em 1977.
 
ORIENTE MÉDIO E ÁFRICA
 
Somente na África Subsaariana podem ser encontrados representantes de todos os tipos de regime. Cabo Verde continua sendo o único caso de uma democracia funcional, mas é acompanhado por 11 democracias deficientes, especialmente nas sub-regiões do Sul (por exemplo, África do Sul, Namíbia, Botsuana) e da África Ocidental (por exemplo, Gana, Senegal, A Gâmbia).
 
Mais de 1/3 dos estados da África Subsaariana são regimes híbridos e variam consideravelmente em suas combinações de democracia e elementos autocráticos, assim como seu grau geral de democratização. As autocracias estão geograficamente concentradas na África Central e Oriental, a versão moderada claramente em número superior ao das autocracias duras (por exemplo, Somália, Eritréia e Burundi).
 
TOP 5 PAÍSES COM MAIORES DECLÍNIOS
 
1. Bolívia
2. Sudão
3. Benin
4. Nigéria
5. Índia
 
TOP 5 PAÍSES COM MELHORIAS MAIS ACENTUADAS
 
1. Maldivas
2. Butão
3. Ucrânia
4. Thailândia
5. Mauritânia
 
 
Poder 360
 

Comentários (0)


Fala Santos
E-mail: contato@falasantos.com.br
© 2010 Fala Santos. Todos os direitos reservados. site criado por