Sindical
31/01/2019 - 07h11

Codesp: portuários aprovam iniciativa da deputada Rosana Valle



 
Mesmo antes de assumir uma das 513 cadeiras na Câmara Federal, para a qual foi eleita de maneira expressiva ao receber 106.100 votos no pleito realizado em outubro do ano passado, a deputada federal eleita Rosana Valle (PSB) vem cumprindo fielmente seu discurso de campanha e dando mostras de que o Porto de Santos será uma das suas prioridades durante o mandato que se inicia no próximo dia 1º.
 
Preocupada com a demora do Governo Federal em consolidar a designação dos novos gestores da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), na última sexta-feira (25) ela encaminhou ofício para o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, solicitando um posicionamento oficial quanto à data de nomeação do engenheiro Casemiro Tércio de Carvalho, não ratificada pelo Conselho de Administração (Consad) da estatal portuária em reunião realizada no dia 21. 
 
Casemiro foi indicado pela pasta para a presidência da empresa, que desde a saída de Luiz Fernando Garcia, no último dia 4, vem sendo ocupada interinamente por José Alfredo de Albuquerque e Silva, que acumula o cargo máximo com o de diretor de Relações com o Mercado e Comunidade (DIREM) da docas paulista.
 
A iniciativa da jovem parlamentar mereceu elogios da classe trabalhadora portuária. "Demonstrou que está atenta e engajada com os inúmeros problemas que envolvem a questão portuária como um todo, sobretudo os que tratam da Codesp, que lamentavelmente não está recebendo a devida atenção do Governo Federal mesmo sendo a empresa que administra o maior e mais importante complexo portuário da América Latina", afirmou o presidente do Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport), Everandy Cirino dos Santos. 
 
Na liderança da entidade representativa majoritária dos empregados da empresa, que conta com aproximadamente 1.500 colaboradores, o sindicalista esclarece que a lacuna no preenchimento dos cargos não se resume à presidência e duas diretorias. "São várias assessorias, superintendências, gerências e outras posições de extrema relevância, todas consideradas estratégicas para o bom funcionamento da companhia, e que continuam sendo tocadas pelos verdadeiros carregadores do piano, ou seja, pelos incansáveis e sempre injustiçados companheiros formados nos quadros de carreira, colocados sempre à margem em razão das nomeações políticas."
 
Outro que não poupou elogios à atitude de Rosana Valle foi o presidente do Sindicato dos Operadores de Guindastes e Empilhadeiras (Sindogeesp), Paulo Antônio da Rocha. "Nem bem assumiu e já nos antecipa seu compromisso com os interesses do Porto de Santos, e esperamos que durante os próximos quatro anos do seu mandato ela possa trabalhar e colaborar significativamente para o progresso e desenvolvimento do complexo, bem como em benefício dos diversos agentes que com ele interagem, com destaque a classe trabalhadora."
 
Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Bloco, Wilson Roberto de Lima, a demora na efetivação do mandatário e demais cargos nos principais escalões da Codesp é algo inusitado. "Em quase 50 anos de vida portuária eu nunca vi tamanho menosprezo por parte dos governantes, nem na época da Ditadura Militar (1964-1985) com a extinta CDS (Companhia Docas de Santos), e penso que a deputada agiu muito bem, teve uma atitude arrojada, oportuna e pertinente, sobremaneira porque está defendendo os interesses do nosso porto, deixando claro que vai seguir os caminhos trilhados pelo pai dela, uma referência de ser humano, exemplo de companheirismo e profissional portuário", disse o dirigente. Rosana Valle é filha do estivador aposentado Francisco Fernandes do Valle Filho.
 
Na mesma linha, o líder do Sindicato dos Consertadores de Carga e Descarga, Adilson de Souza, também enalteceu pai e filha. "Ela já demonstrou todo seu valor e competência como jornalista e não tenho a menor dúvida do seu sucesso na qualidade de deputada eleita, até porque vem seguindo à risca os ensinamentos do pai, parceiro como poucos, homem do porto aplicado, responsável e que deixou um legado de grandes realizações à frente da Associação dos Aposentados do Sindicato dos Estivadores", lembrou o sindicalista. Durante a campanha eleitoral, no ano passado, Adilson esteve reunido com Rosana Valle e outros dirigentes portuários na sede do Sindicato dos Conferentes de Carga, Descarga e Capatazia do Porto de Santos.
 
Na opinião do conferente e atual presidente da categoria, Wilk Aparecido de Santa Cruz, há tempos o Porto de Santos é tratado com desdém pelo Governo Federal. "Falam tanto em privatização e tratam o mais importante porto do país, não por acaso responsável por cerca de 28% da balança comercial brasileira, com tamanha negligência. Nesse sentido, entendo que a intervenção da Rosana foi extremamente tempestiva, considerando que na próxima semana a Codesp vai completar um mês sem um presidente efetivo", pontuou.

Rosana Valle já se mostrou amplamente favorável à descentralização das gestões portuárias públicas, bem como contrária às indicações políticas partidárias para os principais cargos dessas empresas. Atenta, também defende a valorização do Conselho de Autoridade Portuária (CAP), que de importante colegiado deliberativo foi transformado pelo novo marco regulatório do setor (Lei nº 12.815/2013) em órgão meramente consultivo. 
 
Também presente naquele encontro informal durante a campanha eleitoral, o presidente do Sindicato dos Vigias Portuários, José Cavalcanti Pessoa, parabenizou a deputada eleita pela determinação. "Diante de um cenário de pronunciamentos nada favoráveis na imprensa, que tratam de possíveis mudanças na legislação portuária e subsequentes ameaças de retiradas de direitos e conquistas dos trabalhadores, inclusive com o fim do Ministério do Trabalho e propalada extinção da própria Justiça do Trabalho, saber que ela tomou uma atitude dessa magnitude antes de ser diplomada deputada federal é algo extremamente gratificante. Foi corajosa e proativa; contamos com ela."
 
No comando do Sindicato dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias em Geral de Santos e Região (Sintrammar), categoria com atividade preponderante no retroporto, Francisco Erivan Pereira, se mostrou confiante com o trabalho da parlamentar. "Certamente esse foi o primeiro de muitos outros passos relevantes que ela dará em benefício não só da Codesp, mas também dos trabalhadores portuários, retroportuários, empresários e demais categorias que tiram seu meio de vida do Porto de Santos", concluiu o dirigente que, no próximo dia 8, ao lado das demais lideranças sindicais portuárias, estará participando de uma reunião com Rosana Valle, encontro que acontecerá na sede do Sindaport. 


FalaSantos