Judiciário
15/03/2019 - 02h07

Advogado chama Gilmar Mendes de “inimigo nº 1” e pede impeachment


Modesto Carvalhosa sustenta que há 32 casos de quebra de responsabilidade e falta de decoro do ministro do Supremo

 
O advogado Modesto Carvalhosa registrou nesta quinta-feira 14 um pedido de impeachment do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF). O documento foi protocolado no Senado.
 
O advogado sustenta que há 32 casos de quebra de responsabilidade e falta de decoro do ministro que podem ser entendidos como crime de responsabilidade. O documento de 150 páginas apresenta um esquema de acusação similar ao power point do procurador da operação Lava Jato Deltan Dallagnol, que ganhou repercussão na acusação feita ao ex-presidente Lula.


 
“Está claro que a sociedade, por unanimidade, não admite a presença dessa figura no Supremo. Ele é o inimigo público número um do Brasil”, disse Carvalhosa ao portal UOL. A tese da acusação afirma que Gilmar julgou casos em que tinha proximidade, como processos referentes à Confederação Brasileira de Futebol – a instituição doou R$ 50 mil para a campanha eleitoral do irmão do ministro, segundo a denúncia.
 
O advogado se reuniu com o líder da oposição, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o líder do PSL, Major Olímpio (PSL-SP), e os senadores Alvaro Dias (Pode-PR) e Lasier Martins (Pode-RS) nesta manhã.
 
A acusação cita ainda o caso em que Gilmar Mendes concedeu liberdade provisória para Paulo de Souza Viera, conhecido como Paulo Preto, no processo que apura desvios de recursos da Dersa – estatal do Estado de São Paulo – na gestão de José Serra e Geraldo Alckmin.
 
Fica a critério do presidente do Senado, Davi Acolumbre, do DEM, acatar ou descartar o pedido. Ele não tem prazo para tomar a decisão. Segundo o UOL, senadores da base da oposição pedem para que Davi aceite o pedido e instaure uma comissão especial para analisar se ele deve ou não ir ao plenário.
 
 
Carta Capital