Educação
29/03/2019 - 04h30

Clima hostil e xingamentos levam Bolsonaro a cancelar visita ao Mackenzie


Presidente veria pesquisa sobre grafeno. Estudantes organizam protestos no local.
 
O presidente Jair Bolsonaro cancelou a ida à Universidade Mackenzie, em São Paulo, marcada para esta 4ª feira (27.mar.2019). Acompanhado do ministro Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), o presidente conversaria com pesquisadores responsáveis por estudos sobre o grafeno, material citado por Bolsonaro como uma potencial grande fonte de riqueza do Brasil.
 
O anúncio do cancelamento vem pouco depois da disseminação de vídeos com protestos de estudantes contrários ao presidente na universidade. A instituição fica na rua Maria Antônia, endereço simbólico de confrontos na ditadura.
 
Segundo o DCE (Diretório Central dos Estudantes), cerca de 1.000 pessoas estão nos arredores do Mackenzie manifestando-se contra Bolsonaro. “Encaramos como uma vitória do movimento estudantil a desistência do Presidente que, por medo, cancelou o compromisso com a ciência e a tecnologia — um dos carros chefes de sua campanha — e o encontro com os estudantes”, diz a nota. Os atos continuarão até às 18h.
 
Ao mesmo tempo, 1 evento de recepção pró-Bolsonaro estava sendo organizado no local.
 
PLANALTO: NUNCA FOI CONFIRMADO
 
Em nota, a assessoria de imprensa do Planalto informou Bolsonaro não cancelou a visita porque ele “nunca confirmou”.
 
No entanto, o presidente anunciou em seu perfil no Twitter, em 18 de março de 2019, que estaria na universidade.
 
NOTA DO DCE
 
Leia a íntegra do texto divulgado pelo DCE da universidade:
 
[NOTA DCE – BOLSONARO ARREGA MAS A GENTE NÃO]
 
Nesta manhã realizamos o primeiro ato contra a vinda do presidente Bolsonaro no Mackenzie, reunimos mais de mil estudantes e mostramos que a resistência a este governo corrupto e intolerante está presente dentro das universidades por meio do movimento estudantil. como enunciado no evento e no ato estaremos sob vigília o dia todo dentro e fora do campus a fim de garantir que nossas pautas e reivindicações sejam ouvidas, tanto pelos governantes quanto pela universidade.
 
Todavia, há poucos momentos recebemos um comunicado oficial da reitoria nos informando que o presidente Bolsonaro cancelou a agenda referente a visita ao Mackenzie. Segundo reportagem do BR18, os assessores e a equipe de segurança do presidente o recomendaram que ele não viesse a faculdade por receio de confronto com os estudantes.
 
“Bolsonaro cancela ida ao Mackenzie
 
O presidente Jair Bolsonaro cancelou a ida à Universidade Mackenzie, em São Paulo, onde iria, juntamente com o ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, conversar com pesquisadores responsáveis por estudos com o grafeno, um dos temas-xodós de sua campanha.
 
Desde terça assessores já vinham tentando dissuadir Bolsonaro de ir à rua Maria Antônia, endereço simbólico dos confrontos entre estudantes na ditadura. Protestos vinham sendo anunciados e havia o risco de confronto. A área de segurança do governo, sobretudo o GSI, estava monitorando com preocupação a agenda. Funcionários do Mackenzie já foram informados do cancelamento da visita, que também não está mais na agenda oficial de Bolsonaro. / V.M.”
BR18, 2018
 
Também segue para ciência de todas e todos a declaração oficial da reitoria a respeito do cancelamento:
 
“ (…) Comunicamos, a pedido do M. Reitor, Dr. Benedito Aguiar, que a visita presidencial nesta data foi cancelada pela Presidência da República.
 
Permanecem suspensas as aulas práticas e provas nos prédios 28, 33 e 38, anteriormente anunciadas. (…)
 
Gabinete da Reitoria
Universidade Presbiteriana Mackenzie”
 
Encaramos como uma vitória do movimento estudantil a desistência do Presidente que, por medo, cancelou o compromisso com a ciência e a tecnologia — um dos carros chefes de sua campanha — e o encontro com os estudantes.
 
Declaramos que os atos (das 13h e das 18h) SEGUEM normalmente a fim de garantir nosso posicionamento político!
 
Att.
Gestão Enfrente – DCE Mackenzie
 
 
Poder 360