Portos
04/04/2019 - 04h33

Fim de contrato ameaça dragagem do canal de navegação do Porto de Santos


Trabalhos serão finalizados nesta semana. Presidente da Codesp diz que está trabalhando para dar continuidade aos serviços.
 
O canal de navegação do Porto de Santos, no litoral de São Paulo, pode ficar sem a dragagem de manutenção. O contrato entre o Ministério da Infraestrutura e as empresas que prestam o serviço termina em agosto, mas a retirada dos sedimentos acaba nesta semana. A preocupação é que a falta da dragagem prejudique a circulação e o embarque de mercadorias no cais santista.
 
A dragagem está sendo feita para aprofundar o canal do Porto de Santos de 15 metros para 15,7 metros, além de alargar alguns trechos. As obras são fundamentais para a atracação de navios de grande porte.
 
A notícia preocupa, principalmente, as agências marítimas. Elas temem que, com a paralisação do serviço de manutenção da dragagem, possa haver um assoreamento do canal, gerando prejuízos. A cada centímetro de redução de calado, oito contêineres deixam de ser embarcados.
 
O presidente da Codesp, Casemiro Tércio Carvalho, disse, por meio de nota, que os riscos de descontinuidade dos serviços de manutenção das profundidades do canal de navegação do Porto de Santos estão descartados. Tércio esclareceu que a Codesp já está trabalhando, junto com o Ministério da Infraestrutura, em dois procedimentos para dar continuidade aos serviços de dragagem do canal de navegação.
 
A contratação emergencial dos serviços deve ser concluída até o início de maio. Além dessa medida de curto prazo, a Codesp informou que já iniciou os procedimentos para a realização de um certame licitatório visando à contratação da dragagem por um período de dois anos.
 
Ainda por meio de nota, a Codesp disse que os dois contratos terão cláusulas rescisórias vinculadas à concessão da gestão do canal de navegação para o setor privado, que incluirá, além da dragagem, serviços de sinalização, balizamento, monitoramento ambiental, entre outras atividades inerentes à gestão do canal.


G1 Santos