Judiciário
06/06/2019 - 07h53

Lech Walesa relembra queda do comunismo e adverte sobre desigualdades


Passados 30 anos das eleições legislativas na Polônia que precipitaram a queda do comunismo na Europa Oriental, Lech Walesa lançou nesta terça-feira (4) em Gdansk uma advertência sobre demagogia, populismo e desigualdades sociais.
 
“Nem o comunismo nem o capitalismo atual se adaptam ao século XXI. Os povos não aceitarão a distribuição de riquezas, tal como está hoje, e corre o risco de continuar. Pode haver, então, uma espécie de Revolução de Outubro, a menos que nos sentemos à mesa com aqueles que têm a riqueza”, disse Walesa, cercado de outros protagonistas da queda do comunismo reunidos em Gdansk.
 
Há 30 anos, “nossa geração conseguiu algo incrível: oferecemos uma nova oportunidade ao mundo e sem desencadear uma guerra nuclear!”, acrescentou o histórico dirigente do sindicato Solidariedade.
 
O porto de Gdansk é um lugar simbólico, do qual partiu o movimento que terminou conseguindo a democratização da Europa Oriental, após quase meio século de domínio soviético.
 
Em 4 de junho de 1989, depois das negociações em “mesa-redonda” entre o regime do general Wojciech Jaruzelski e a oposição liderada por Lech Walesa, líder do Solidariedade, o primeiro sindicato livre do mundo comunista, os poloneses votaram em eleições legislativas “semidemocráticas”, que terminaram com a reprovação total do poder e do sistema comunista.
 
Ao fim desta consulta inédita desde a instauração do regime controlado por Moscou ao fim da Segunda Guerra Mundial, a oposição obteve 35% das bancas da Câmara baixa às quais podia ter acesso, segundo a lei eleitoral negociada. Nesta disputa, o poder se reservou a maioria de 65%. Os candidatos do Solidariedade ganharam, ao mesmo tempo, 99% das bancas do Senado, para o qual a eleição foi totalmente livre.
 
Dois meses mais tarde, o intelectual católico Tadeusz Mazowiecki se tornava o primeiro chefe de governo não comunista da Europa Oriental desde 1945. O Muro de Berlim caiu em novembro de 1989.
 
 
Estadão Conteúdo