Cultura e Entretenimento
17/03/2020 - 08h32

Maior teatro de Santos passa por revitalização


O maior teatro de Santos, o Coliseu, está sendo reformado e restaurado, dentro da primeira etapa de melhorias previstas. A estimativa é de que a obra seja concluída até outubro.
 
Os serviços incluem limpeza, escovamento, raspagem, preparo das superfícies, remoção de sujeiras e das partes soltas; recuperação dos elementos decorativos e frisos e pintura. Eles fazem parte do Programa Novo Centro Velho, que reúne obras orçadas em R$ 44 milhões contemplando prédios públicos desta região da Cidade: Teatro Guarany, Casa do Trem Bélico, Casa da Frontaria Azulejada, Armazém de Bagagens, Rodoviária Municipal, Outeiro de Santa Catarina, Arquivo Histórico Municipal e escadaria do Monte Serrat, e do Mosteiro do São Bento.
 
INTERVENÇÕES
 
Os serviços no Coliseu começaram com substituição e reparos em coberturas, e de todas as esquadrias. “Na sequência será feita a restauração da fachada e pintura do prédio anexo”, diz o arquiteto Ronald do Couto Santos. “O trabalho é muito cuidadoso, com várias etapas. Os restauradores trabalham em 96 janelas e 26 portas de variados tamanhos”. Será feita ainda a atualização do sistema de para-raios e a modernização do sistema de iluminação cênica da fachada. A calçada do entorno será recuperada, em concreto desempenado, no padrão Calçada para Todos. Trata-se de investimento de R$ 4,2 milhões, recursos do governo do Estado, por meio do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias Turísticas (Dadetur), na intervenção.
 
AGENDA
 
A Secretaria de Infraestrutura e Edificações, gerenciadora dos serviços, e a Secretaria de Cultura, que administra o equipamento, estabeleceram um plano de obras especificando que o teatro não teria agenda a partir de janeiro, salvo eventos excepcionais, que pudessem ser conciliados com as obras. E, a partir de abril, até setembro, o palco seria fechado.
 
Previstas outras melhorias
 
Os serviços de restauro e reforma programados para o Teatro Coliseu foram divididos em quatro etapas. A reforma da caixa cênica faz parte da segunda etapa da obra.
 
Os serviços contemplam reforma de manutenção do urdimento (conjunto de traves no teto de um palco), modernização das cortinas e melhorias no recinto da orquestra sob o palco. Os elevadores de palco (um para a orquestra e outro para entrada e saída de equipamentos) serão modernizados e será feita a pintura interna de toda a caixa cênica. O valor estimado desta etapa é de R$ 2,2 milhões, com prazo de execução de seis meses. A Prefeitura está pleiteando verba Dadetur 2020 para realização da obra.
 
A terceira etapa inclui restauro das pinturas e elementos decorativos do foyer, sala de câmara e plateia e na quarta etapa será executada a modernização do edifício anexo. Para a terceira e quarta etapas ainda não há valores definidos, porque o restauro das pinturas está sendo orçado por restauradores.
 
Edifício se destaca pela riqueza de detalhes
 
O prédio do Coliseu tem estilo eclético com belos afrescos e detalhes arquitetônicos, além de acústica excelente e requintes de decoração que lhe deram fama e o classificaram entre os melhores do país. Acomoda 1 mil espectadores em poltronas na plateia; frisas; camarotes de primeira (foyer) e de segunda (balcão); poltronas do balcão; galerias numeradas do foyer; galerias do balcão e anfiteatro.
 
Palco da estreia do cinema falado em Santos, em 1929, o Teatro Coliseu recebeu os principais musicais, concertos, óperas, peças teatrais e outros espetáculos de companhias nacionais e internacionais. Entrou em decadência nos anos 1970 e foi desativado na década seguinte. Abandonado, passou quase 10 anos em obras de recuperação e reabriu as portas em 2006.
 
 
Da Redação