Educação
15/12/2020 - 09h23

Educadores de Santos terão auxílio financeiro para comprar computadores


O objetivo é garantir a qualidade das aulas remotas.
 
Professores adjuntos, de educação básica I e II e coordenadores pedagógicos da rede municipal de ensino terão auxílio financeiro de até R$ 2 mil para adquirir computadores portáteis. O objetivo é garantir a qualidade das aulas remotas que vêm sendo realizadas em razão da pandemia da covid-19. 
 
Ao todo, são 3.438 potenciais beneficiados, que deverão aderir ao programa. O regulamento será publicado em breve pela Secretaria de Educação (Seduc). A iniciativa está contemplada no ‘Programa Conecta Educador’, criado pela lei 3.794, de 10 de dezembro de 2020, publicada nesta sexta-feira. 
 
O subsídio não será incorporado ao salário nem considerado para cálculo de qualquer vantagem financeira, sendo oferecido apenas aos que aderirem ao projeto. 
 
HISTÓRICO
 
No dia 20 de março de 2020, as escolas fecharam, mas a educação não parou. Desde o dia 28 de maio (retorno do ano letivo para a rede municipal de ensino), a educação se reinventou com o ensino remoto organizado a partir de um conjunto de ferramentas tecnológicas variadas. 
 
Ainda não há previsão de retorno das aulas presenciais. Mas, desde 3 de novembro, as escolas municipais que atendem ao ensino fundamental e à educação de jovens e adultos (exceto as que estão em obras) podem ofertar suporte pedagógico, seguindo as orientações da Supervisão de Ensino. O suporte é destinado aos alunos que não se adaptaram ao ensino remoto, possuem dificuldades de acesso à internet ou ainda que têm dúvidas quanto às atividades propostas, disponibilizadas tanto de maneira remota ou impressa. Ou seja, todo material, rotinas de atividades e estudos postados no Portal da Educação, também são distribuídos na forma impressa para os alunos que têm dificuldade de acesso. 
 
O tempo de permanência nas escolas não pode passar de 3h30. Todas as unidades seguem os protocolos sanitários estabelecidos e já receberam os itens obrigatórios como termômetro, álcool em gel 70%, tapete sanitário, máscaras de tecido que serão distribuídas para os estudantes e funcionários, entre outros. 
 
Os professores não estão sendo convocados e irão apenas os que se colocarem à disposição. As aulas remotas irão continuar normalmente. No momento, 20 escolas apresentam a demanda para desenvolver atividades de suporte pedagógico presencial para 535 alunos da rede municipal. 
 
PRÓXIMO ANO
 
Em 2021, o primeiro dia letivo será 1º de fevereiro. A volta presencial e gradual das atividades só será realizada com o aval da Secretaria de Saúde e demais órgãos competentes, de acordo com as medidas sanitárias indicadas pelo Plano São Paulo, do Governo do Estado.
 
 
Da Redação